Ser mãe mudou a sua vida profissional?

Oi gente!!!!

Resolvi falar sobre este assunto, pois recebi hoje uma matéria que achei muito interessante: aborda como as empresas estão recebendo de forma positiva as mulheres profissionais que são mães. Segue o link: http://guiadobebe.uol.com.br/quando-ser-mae-e-um-diferencial-no-mercado-de-trabalho/

Nem preciso falar que sou totalmente a favor, afinal mudei muito depois que virei mãe. Na minha opinião, a mulher fica mais flexível, consegue se colocar no lugar do outro com mais facilidade e resolve as situações complicadas com mais cautela e maturidade…é o sentimento maternal que surge e faz toda a diferença.

Antes de ser mãe, tudo para mim ou era certo ou errado, hoje não existe o certo e o errado, há o diferente!!! Existe a realidade do pensamento daquela pessoa que pode e deve ser diferente da minha, senão onde entraria o desenvolvimento do nosso senso crítico?!?

Então, empresas…valorizem este ser humano que se divide em mil partes e tenta dar o máximo de si em todas as funções que desempenha, além do que a profissional mãe trabalha com a certeza dos fatos, mas sempre consulta o seu sexto sentido, não é mesmo meninas??? (As pessoas que trabalham comigo já sabem…se o sexto sentido aparece, huummm…. sabem que têm que verificar todo o processo novamente para não ocorrer nada fora do normal…. hehehehe)

O que mudou é que agora eu fui obrigada a aprender a compartilhar o tempo…antes não tinha horário para sair do trabalho… hoje eu tenho que sair na hora certa para amamentar, buscar os filhos na escola, ter um tempo com meu marido, colocar a casa em ordem…mas, mais uma vez, enfatizo o lado positivo…será que quando viramos mães aprendemos a otimizar o nosso tempo???  Acredito que sim… e vocês? Deixem as suas opiniões…

Um grande beijo e até mais!!!

O pediatra do Benício vai me matar!!! Ele está usando andador..

Gente,

Estou preparada para receber vários olhares de reprovação, mas não conseguimos ficar o tempo todo com ele querendo ficar de pé e caindo com freqüência.

Isto mesmo…COLOCAMOS O BENÍCIO NO ANDADOR!!! Uma amiga minha deu a sugestão, falou que colocou o filho dela com 4 meses, porque também não parava quieto, me deu coragem e fiz!!!

Nem preciso falar que o pediatra dele vai, no mínimo, acabar com a minha “raça”, mas pelo menos estamos mais tranqüilos…a felicidade dele está extravasando, afinal de contas, tudo que ele quer é ficar de pé…vai de um lado para o outro, está se divertindo muito. Não estamos deixando ficar muito tempo e também ficamos o tempo inteiro junto para tentar evitar qualquer acidente…

Mas como eu faço as coisas e fico me culpando ao mesmo tempo, procurei matérias que falasse sobre isso…afinal… pode ou não??? Quais são as conseqüências?

E, realmente o andador é um acessório totalmente recriminado e pode causar vários problemas e acidentes. Confiram a matéria da  BabyCenter.

Então, se você puder evitar o andador, pelo que li nas matérias, faça isso!!!

Desenvolvimento: Benício está engatinhando e outras coisas mais…

Pessoas,

Estou um pouco assustada com a evolução do Benício… ele acabou de fazer 6 meses e deveria estar sentando agora, mas ao invés disso, ele fica de pé e engatinha com uma facilidade única.

Ele se segura em qualquer lugar (minha perna, berço, brinquedos, prateleiras…) e já é um apoio para ficar de pé, mas aí que vem os sustos, pois o metido fica de pé, mas não consegue se sustentar por muito tempo, resultado: um tombo atrás do outro!!!

A mesma coisa acontece com o engatinhar, pois ele tem o espaço dele de brinquedos que é todo forrado com tapete de EVA, mas ele não quer ficar só lá, ou seja, engatinha pela casa inteira com uma velocidade tremenda (é muito engraçado..porque o deixamos em um lugar e em questão de segundos o perdemos  de vista), mas esta velocidade não acompanha a coordenação motora…resultado: ele está cabeceando chão com frequência.

Isto me deixa muito, mas muito assustada mesmo, pois a Chiara sempre foi muito tranquila em relação a isso, eu fico pensando: o que vem pela frente??? Ele será o terror do condomínio, da escola, dos amigos? Além dos cuidados normais de segurança que temos que ter em casa, o que mais precisamos fazer?
Bom, vou dando notícias…enquanto isso, fiquem com as fotos do meu filhote e segue o link do post que fiz sobre  O que um bebê consegue fazer aos 6 meses.

Até mais!!!

O que fazer quando a criança sente SAUDADES…

Oi gente!!!

Esta palavra SAUDADES é muito forte, né?

Ouvi muitas e muitas vezes enquanto o Juninho estava viajando. Afinal de contas ele ficou 20 dias fora e imaginem a Chiara como ficou… simplesmente o pai é tudo para ela!!!

Havia momentos em que eu ficava com dó, outros ficava irritada pela situação e ainda existiam outros que eu tentava entretê-la com alguma história para ela esquecer…mas posso afirmar que foi muito difícil!!!

O comportamento da Chiara variou bastante: no começo, ela não perguntava do pai, depois tudo chamava o pai… chorava sem motivos e pedia por ele, no final então…ficou terrível…estava manhosa, chorona e muito birrenta.

O Juninho falava com ela quase todos os dias por Nextel (foi o que ajudou muito) e de vez em quando conseguíamos nos ver pelo Skype.

Pensando nisso, fui atrás de uma resposta da Revista Crescer a uma leitora que aborda este assunto para verificar se fiz algo direito. Confiram:

O link é resposta Revista Crescer


Beto Tchernobilsky

Pais longe de casa 
Quando o pai ou a mãe precisam viajar a trabalho, a reação da criança é a mesma: fica triste, manhosa, teme que não volte mais. Como em muitos casos, o diálogo é a melhor opção. Explique o quanto esse trabalho é importante para a família. Para amenizar a saudade dela (e a sua também) ligue sempre para casa, converse com o seu filho, queira saber do seu dia-a-dia, ajude a resolver possíveis problemas. Pode também deixar recadinhos escondidos para ele achar pela casa ou no material escolar. “Dessa forma, a criança saberá que não foi esquecida, se sentirá valorizada e vai guardar uma mensagem positiva desta época”, diz Lourdes Brunini, psicóloga, diretora da Faculdade de Ciências da Saúde de São Paulo. 

Resposta à dúvida da leitora Patrícia, por e-mail
Bom, depois desta resposta acredito que fizemos algo certo!!!! Da próxima vez, vamos aprimorar mais…espero que não seja tão cedo… quero ficar com SAUDADES deste episódio…hehehe

O que um bebê de seis meses consegue fazer?

Olhem que legal…. ontem, o Benício fez 6 meses e eu tenho as crianças cadastradas no site www.guiadobebe.com.br, fiquei muito feliz quando recebi um e-mail contendo estas informações abaixo:

Olá, MAMÃE VIVER BEMBOM 

Veja o que BENÍCIO FLORENCE LORENZ FERREIRA já pode ser capaz de fazer e como você pode ajudar na estimulação. 

Lembre-se: as etapas do desenvolvimento variam de criança para criança. O que um bebê de seis meses consegue fazer?

Com seis meses o bebê usa as mãos para descobrir o mundo. Quer pegar, alcançar, amassar, apertar. Bate com os objetos no chão e na beira da cama para fazer barulho e começa a se interessar realmente pelos seus brinquedos. Sua percepção já está evoluída a ponto de conseguir encontrar um objeto escondido se tiver uma parte visível.

Se o bebê estiver entretido com um brinquedo e alguém tentar tirá-lo de suas mãozinhas, terá dificuldades. Ele usa movimentos do corpo e aperta com mais força o objeto para não entregar. Esse é um claro sinal da inteligência do bebê.

Outro exemplo é quando estamos brincando com ele, falando e mostrando um objeto e paramos de repente. Logo o bebê começa a fazer sons e balançar os bracinhos pedindo mais.Eles gostam de audiência. Quanto mais gente por perto rindo e se divertindo com as suas gracinhas, mais feliz o bebê está.Ele fica bastante tempo entretido com seus brinquedos e, se estiver apoiado, consegue sentar.

Mas os pais precisam ficar sempre atentos. Aos 6 meses os bebês são rápidos, jogam o corpo, rolam e os tombos podem acontecer a qualquer hora.Seu equilíbrio e coordenação motora já estão bem evoluídos e ele é capaz de se virar para um lado, para o outro, para frente e para trás.

A linguagem continua se desenvolvendo e agora o bebê balbucia para os brinquedos, usa consoantes e vogais diversas, resmunga e gargareja. Também consegue usar tonalidades diferentes para demonstrar raiva, alegria, dúvida, desapontamento.Nessa fase o bebê já distingue perfeitamente rostos familiares e estranhos. Seu comportamento social pode ser percebido no reconhecimento de pessoas da família.

Como estimular o bebê de seis meses?

O desenvolvimento mental está fortemente ligado aos estímulos que o bebê recebe. Por isso, é fundamental que os pais conversem e falem com o bebê, mesmo que ele não entenda o significado das palavras. Mostre as cores e diga os nomes, imite o barulho dos animais, cante musicas infantis, aponte as partes do corpo e diga os nomes.

A voz da mãe é muito importante para incentivar a fala do bebê. Aos 6 meses, ele tenta modular suas emissões vocais de acordo com o que ouve da mãe.O contato com outras crianças, principalmente com irmãos mais velhos, é excelente, pois facilita tanto o desenvolvimento mental quanto o social. Ele aprende a dividir, se comunicar, respeitar, impor suas vontades.

Incentive-o a se arrastar para pegar os brinquedos. Coloque seu brinquedo preferido a alguns centímetros de onde ele está e faça movimentos, barulhos e chame o bebê. Essa etapa em que ele começa a se locomover para alcançar objetos é importante para o aprendizado do engatinhar.


Vida real: o por quê do meu sumiço

Gente,

Estou escrevendo aqui hoje para pedir desculpas aos meus leitores, pois faz quase uma semana que não coloco nada no ar!!!! Mas isto, vai passar e voltarei a ser a velha Mamãe Viver BemBom de sempre…
É que todos na família estão doentes, inclusive eu… Com infecção de garganta, febre, tomando antibiótico e assim por diante, então vcs. imaginam… se eu já não dormia, imagina agora!!! O corpo não está mais respondendo.
Bom, mas isto é VIDA DE MÃE!!!
Espero q vocês entendam…mas eu precisava dar um satisfação… Depois vou contar toda esta minha experiência com dicas para vcs!!! Um beijão e até mais…

Curiosidades sobre os bebês – muito interessante!!!

Gente,

Olhem esta matéria, aborda curiosidades gerais sobre os bebês!

Encontrei no site http://www.melhoramiga.com.br/2010/01/curiosidades-sobre-os-bebes/

Muito interessante!!! Será que agora conseguiremos descobrir alguns mistérios dos nossos filhos????

Curiosidades sobre os bebês

Curiosidades sobre os bebesAlgumas dessas curiosidades você pode estar careca de saber, mas isso tudo saiu num artigo da revista People da Inglaterra…
– Os bebês nascem sem as rótulas. Elas só se desenvolvem entre os seis meses e um ano de vida.
– É muito mais comum do que se pensa os bebês nascerem com olhos azuis, verdes…claros. Com o tempo e geralmente antes de abrirem os olhos a cor muda para a natural.
– As crianças de seis anos riem em média 300 vezes ao dia contra 60 dos adultos.
O que comprova que quanto mais velho mais chato e enjoado se fica.
– Os bebês nascidos em Maio são aproximadamente 200g mais pesados que os nascidos em outros meses. Epa…eu sou de maio e não sabia disso….!!
– Uma criança não cresce enquanto está gripada. Um adulto não cresce até dar umas cabeçadas na parede…
– Um criança que recém aprendeu a andar dá 176 passos por minuto, assim como um adulto com uma perna de pau, elas precisam alternar os pés rapidamente para se equilibrarem.
– Até os seis ou sete meses, os bebês podem respirar e engolir ao mesmo tempo, os adultos, não. Isto é o que permite tomarem o leito materno.
– Os bebês nascem com a habilidade de nadar e conter a respiração, mas mais tarde a perdem.
– Os bebês não têm mau hálito, em princípio, porque ainda não têm dentes, ali se depositam as bactérias que fazem com que o hálito cheire mal.
– A cabeça de um recém-nascido representa um quarto de seu peso total.
– A maioria dos bebês reconhece a voz da mãe já quando nascem, mas demoram no mínimo 14 dias em reconhecer a voz do pai. Isto deve-se à ressonância criada pela voz da mãe durante os 9 meses de gestação. De qualquer forma elas costumam demonstrar mais alegria ao reconhecer aquela voz que brincava com ele quando ainda no ventre. Daí a importância de mimá-lo ainda na barriga da mãe. Tá certo, ele quer saber com certeza quem é o pai.
– Os bebês não suam, as suas glândulas sudoríferas ainda não estão plenamente desenvolvidas.
– Um feto de quatro meses é capaz de tapar os olhos ante uma luz brilhante que atravessa a barriga da mãe, bem como de reagir ante sons muito fortes.
– Um feto não desenvolve impressões digitais até os três meses.
– Um recém-nascido só focaliza objetos que se encontram a 25 cm do seu nariz, a distância que há entre ele e sua mãe ao ser amamentado. É tudo o que ele precisa ver.
– As crianças crescem duas vezes mais rápido na Primavera que no Outono, ainda que ganhem mais peso durante o Outono.
– Durante uma ecografia é possível ver o bebê sorrindo até a 1 mês do nascimento, a partir deste período não sorriem mais. A proximidade do parto os deixa de mau humor.
– O sentido mais forte dos bebês é o olfato, nos primeiros dias é a principal forma de reconhecimento da sua mãe.
– O coração de um embrião começa a bater na terceira semana da sua concepção.
– Não importa onde nasça o teu filho, compartilhará o seu aniversário com outras 9 milhões de pessoas ao redor do mundo.
– O recorde de filhos de uma mesma mulher é de 69.
– A maioria dos bebês chora sem lágrimas até que completem entre três e seis semanas.
– O peso de um bebê dobra depois de seis meses e triplica ao final do primeiro ano

Por que a Funchicórea foi proibida?

Pessoal, essa matéria achamos muito legal divulgar, pegamos na integra do site:
http://guiadobebe.uol.com.br/por-que-a-funchicorea-foi-proibida/

Muito utilizado para combater as cólicas em bebês, o medicamento teve registro cancelado pela ANVISA.

Existem aquelas receitinhas que passam de geração para geração e que nossas mamães sempre empregam como argumento o “usa que minha avó já receitava e dava certo”. A funchicórea é uma dessas receitas para libertar os bebês das cólicas que assombram a maioria das mamães. Mas seu registro foi cancelado pela Vigilância Sanitária.
O “pó milagroso” tem na sua fórmula folhas de chicórea, raiz de ruibarbo e flores de funcho. Tem também a sacarina, que causa o sabor adocicado ao remédio. O pó deveria ser dissolvido em água e o bebê sugar a chupeta mergulhada nessa água.
O motivo da proibição da venda da funchicórea dado pela ANVISA é a falta de comprovação da segurança e eficácia do medicamento para os fins relatados no rótulo – combater as cólicas nos primeiros meses de vida. O processo de cancelamento estava em andamento desde 2005 e teve a decisão final em 06 de fevereiro de 2012.
O medicamento é usado há mais de 70 anos, mas não existe nenhum estudo científico que comprove a eficácia da funchicórea contra as cólicas. Diretores do Laboratório que era autorizado pela venda da funchicórea dizem que novos estudos devem ser feitos, pois em pesquisas feitas pelo próprio laboratório indicam que o extrato da planta não é eficaz contra as cólicas. O laboratório continuará com os estudos para a recuperação da autorização da venda.
Se não há comprovação da eficácia da funchicórea, muitos pais se perguntam como é que o remédio diminuía as cólicas em muitos casos e por isso era sucesso entre as mamães há mais de 72 anos?
O que os médicos afirmam é que funcionava como um “remédio psicológico aos pais”. Explica-se: a família oferecia o remédio para a criança com cólica e ficava tranquila, pois havia a sensação de que algo já tinha sido feito. O sabor adocicado tirava a atenção do bebê da dor para o gosto prazeroso do doce e assim o bebê se acalmava momentaneamente.
A cólica nos três primeiros meses de vida do bebê é normal por causa da imaturidade do sistema digestivo e assim há dificuldade em digerir alguns componentes do leite levando à dor. Não há nenhum medicamento comprovado cientificamente que combata essas cólicas.
Algumas dicas podem ser levadas para evitar as cólicas. Leite materno é sempre a melhor pedida, pois a sua digestão é mais fácil. A amamentação deve ser exclusiva até os seis meses de vida sem a inclusão de água ou chás que também não resolvem as cólicas.
Não há nada provado que a alimentação materna interfira nas cólicas do bebê. A mamãe não deve restringir a sua alimentação por conta disso. As mamães devem ficar preocupadas e procurarem um médico quando o choro das cólicas vier acompanhado por febre, evacuação com sangue e diarreia.

Vida de mãe – temos que fazer tudo ao mesmo tempo…

Oi pessoal, hoje resolvi conversar com vocês sobre como foi meu dia com meus filhos.
Para variar, sempre estou atrasada para fazer alguma coisa e nunca esta coisa é para a minha pessoa!!!!
Sempre estou fazendo mais que uma ação ao mesmo tempo, não existe mais só comer, ou só dirigir…. Existe comer e convencer seu filho a comer e com o outro filho no colo…dirigir, cantar uma música com um e tentar dar a chupeta para o outro… Hehehehe. Isto que eu só tenho dois!
Acredito que meu post de hoje teria que ter sido postado no dia das mães, mas esta vontade de escrever sobre esta reflexão de como é a nossa vida de mãe surgiu porque hoje estava pintando com a Chiara e brincando com o Benício ao mesmo tempo e nem lembrava que eu tinha esquecido do meu remédio. Afinal, quando viramos mães não temos mais eu, e sim, eles, sempre eles em primeiro lugar. E tenho certeza que todas as mães de verdade, se pudessem, doariam tudo para seus filhos, sem reclamar, doariam inclusive suas vidas!
Apesar do cansaço, às vezes da falta de paciência, não troco o que eu vivo hoje por nada, simplesmente amo ser mãe, descobri este dom, afinal este é o maior amor do mundo, é infinitamente, o amor mais sincero que existe!
Esta é a minha dica de hoje: se você tiver a oportunidade, SEJA MÃE!!! Com certeza, é a melhor coisa que viemos fazer aqui na Terra!!! Fica a dica…

Presentes que ganhei no Dia das Mães

Oi gente!!! Ontem foi Dia das Mães, então hoje quero mostrar para vocês os presentes que ganhei…simplesmente amei!!! Recebi muitas surpresas… O dia foi maravilhoso…aproveitem o vídeo!!!