Você já pensou em adotar uma criança?

Oi gente,

 

Tudo bem?

Dia 25 de maio comemora-se o “dia nacional da adoção”. Com certeza, um tema mega polêmico, mas que resolvi escrever aqui, pois na Família Viver Bem Bom já cogitou-se esta ideia várias vezes e vira e mexe retornamos ao assunto.

adoção dia

Agora vocês me perguntam: Camila você tem o desejo de adotar??? Sim, tenho muito!!! Acredito que já fui muito abençoada em poder gerar duas vidas (todos sabem da minha vontade de ter mais filhos), mas incluir neste círculo uma “pessoinha” que foi abandonada, ou que ficou orfã… seria fantástico,  pois poderemos ajudar e transformar a sua vida. Não me preocupo em raça, cor, sexo, idade, país de origem… gostaria de proporcionar isto à alguém!

Porém, como nada é fácil e simples de resolver, pois somos seres humanos e, adotar uma criança não é chegar no supermercado e escolher um produto…qual é o meu maior medo, ou melhor dizendo, receio: SERÁ QUE CONSEGUIREI CONSIDERAR COMO FILHO? SERÁ QUE NÃO FAREI DIFERENÇA ENTRE MEUS FILHOS LEGÍTIMOS e o ADOTADO? COMO MEUS FILHOS REAGIRÃO À SITUAÇÃO??? Lógico que nunca iremos saber se não concretizarmos a ação, mas por mais que temos as mais belas intenções, não mandamos no nosso coração.

Também sei que temos que ter todo um apoio profissional para a família, para que ajude em todo o processo! Também sei que não há um modelo perfeito, pois como tudo na vida, a mesma ação pode dar certo para uma pessoa e para outra não. Conheço casos maravilhosos de adoção, no qual a pessoa é super inserida à família, ninguém faz diferença, a pessoa sabe que é adotada e agradece por ter sido acolhida… mas também há casos que os filhos não aceitam, que a o filho adotado é revoltado, que trouxe discórdia para a família… mas isto pode acontecer em todas as situações, inclusive temos muitos casos de filhos legítimos que  não são se encaixam ao ambiente familiar… affff, mas o  que pensar então???

Cada família tem o seu jeito de pensar e agir e sabe o que é melhor para seu ambiente familiar, também acredito que a família sabe quando estará preparada para o assunto (mesma coisa quando também colocamos em dúvida se estamos preparados para casar, se achamos a pessoa certa para viver o resto da vida, se temos condição de cuidar de um filho, se queremos engravidar ou não… e quem já viveu isto, sabe que simplesmente acontece… simplesmente flui..talvez  não com tanta naturalidade…mas vai!) E na família Viver Bem Bom este assunto está amadurecendo aos poucos, ficarei muito realizada se  este sonho um dia se transformará em REALIDADE!

Enquanto isto, gostaria de compartilhar com vocês alguns links que li esta semana e explicam muito sobre o assunto (inclusive passo-a-passo) e dizer o quanto me orgulho das pessoas e famílias que passaram por cima de todos os “PORÉNS” e tanto  ajudam  e fazem o bem ao próximo: dando um lar, estudo, comida, roupa…. e acima de tudo: MUITO AMOR, AMOR VERDADEIRO, AMOR DE MÃE, DE PAI, DE IRMÃO, DE AVÔ,  DE TIO… AMOR FAMILIAR POR INTEIRO!!! Simplesmente sem palavras…

Links das matérias:

http://revistapaisefilhos.uol.com.br/familia-e-tudo/adocao-passo-a-passo

http://www.brasilescola.com/datas-comemorativas/dia-nacional-adocao.htm

Site direcionado a este assunto:

http://www.adocaobrasil.com.br/

adoção                                                                                                          www.dsvc.com.br

Qual é a opinião de vocês? Um grande bj e até mais!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dicas para não começar a semana “de cabeça para baixo”

Oi pessoal! Tudo bem?
Bom, resolvi escrever este post porque sempre tenho a impressão que tudo está desarrumado, que sempre estou atrasada, sempre estou correndo… vocês possuem a mesma sensação?????
Pensando nisso, implantei algumas estratégicas básicas no meu dia-a-dia que nem sempre consigo cumprir porque bate aquela preguiça, mas quando dá certo tenho a certeza que preciso colocar mais vezes em prática.

Ah, antes de contar quais são as dicas, quero deixar claro que todas são adaptadas a cada dia, afinal quem tem filhos nada é eterno… eles conseguem mudar o tempo todo o nossa rotina!!! hehehehe….

Vamos lá:

1- Acordar todos os dias 20 minutos mais cedo, faz a diferença! Podem acreditar… Você se arruma com mais tranqüilidade, consegue sentar para tomar café, dá para respirar. Agora, isto só acontece se seus filhos não inventam acordar mais cedo também.Pensando pelo lado positivo, se acordarem ainda estamos 20 minutos na frente.

2- Arrume tudo no dia anterior: há dias que estou naquela preguiça, afinal de contas, não funciono à noite… mas tento me esforçar para deixar roupas separadas, uniformes, mochilas da escola arrumadas, mamadeiras lavadas… no outro dia de manhã, este esforço valerá a pena!

IMG_1235

IMG_1234

3 – Brinquedos – não sei na casa de vocês, mas na minha em 5 minutos em que as crianças estão em casa, parece que a revolução dos brinquedos aconteceu!!! Sabe aquela cena do Toy Story 3, da creche… tudo bem que eles cuidam dos brinquedos, mas a cena de tudo espalhado é igual!!! Ainda não consegui fazer com que arrumem  antes de irem dormir (agora que a Chiara está começando a arrumar do jeito dela, ou seja, aquele arrumado todo amontoado hehehehe), mas estando ajeitado ou não, tentamos deixar tudo ok antes de irmos para a cama.

download

4- Roupas, sapatos, acessórios espalhados pela casa: seria tudo mais fácil se o maridão e as crianças soubessem pegar e devolver no mesmo local, mas como isto não acontece… fico igual louca recolhendo o que está espalhado… juro que qualquer dia vou fazer greve…será que dá certo??? Bom, esta ordem da casa quase sempre fica para o dia seguinte, mas tento me esforçar para arrumar antes.

 

20121227_213521 (1)

Não posso reclamar do meu marido, apesar dele ser superrrrrr desligado e bagunceiro, ele me ajuda muito com as crianças…lá em casa é o esquema de todo mundo tem que se ajudar e tentamos dividir as tarefas..tudo bem que algumas coisas homem fazer não dá certo…hehehehe, mas vamos tentando!!!

 

Com todos estes itens cumpridos, as chances de no outro dia você acordar e se arrumar com mais tranquilidade são maiores, mas não são GARANTIDAS!!!! rsrsrs… isto é vida com filhos!!! Amamos muito tudo isto!!!

E na casa de vocês, acontece tudo igualzinho só muda o endereço? Vc. tem a impressão de sair para trabalhar ou fazer outros afazeres e já estar acabada logo no começo do dia??? Contem para nós quais são as estratégias para otimizar tempo e stress! Podem ajudar muitas famílias…

Um grande bj e até mais!

 

O que muda no orçamento familiar com a chegada de um filho? Dois, três, quatro…

Oi gente!

Quem nunca ouviu dizer de uma amiga a seguinte frase: “preciso me estabilizar financeiramente para pensar em ter filhos” ou “terei apenas um filho porque quero dar o melhor para ele, com mais não teria condições” e assim por diante.

Já no começo do post quero deixar claro que é um assunto polêmico, pois uns acreditam que apenas o AMOR cobre todas as deficiências financeiras, outros acreditam que para a criança estar bem, ela precisa estudar na melhor escola da cidade e os pais precisam guardar dinheiro para que possa fazer intercâmbio aos 15 anos. Para nós, família Viver Bem Bom acreditamos que precisamos do meio termo e que a realidade de cada família também determina os seus valores, ou seja, há famílias que viajar para a Disney é a maior conquista, para outros o fato de conhecer a praia é a maior realização da vida. Agora, esquecendo todas estas variáveis, é inevitável que o orçamento da família aumente, a expressão “onde come 1 comem 2…não é “diretamente proporcional” heheheheheheheh

Bom, mas vamos ao que interessa:

1 – Por mais que seja inevitável, quando souber que está grávida, não saia correndo, igual uma “louca”, comprando tudo que vê pela frente… afinal ganha-se muito presente: as pessoas presenteiam no momento da notícia, no chá de bebê, na maternidade, na visita em casa… compre apenas o que estiver faltando mesmo!!! E se tiver ganho muita roupa P e M, troque por G, 1 ano….pois eles perdem muito rápido e depois a compra de roupa fica só para a família!!!hehehehehe

2 – Ah, muito provável que o quarto do bebê seja vc. quem compre e decore. Dica: não precisa ser o super top, pois muitas vezes o bebê nem dormirá no quarto por um bom período…o quarto dos meus filhos só serviram para tirar fotos e guardar de recordação no albúm.. nunca aproveitaram do jeito que merecia!

3 – Se vc. trabalha, quem ficará com seu filho: escola, babá ou algum parente? Se optou pelas duas iniciais, pode considerar R$1.000,00 a R$ 1.500,00 destinado a este assunto (acredito que seja o item mais caro!)

4 – Fraldas, fraldas, fraldas e mais fraldas…. Dica: chá de fraldas, por favor!!! Você economizará pelo menos de 6 a 8 meses, aproximadamente. Pensando que a criança usa fralda até 2 anos, 2 anos e meio… pode-se considerar que houve uma bela economia! Hoje, o Benício com 1 ano, gasto em média, R$ 100,00 a R$ 150,00 fraldas por mês (pampers verde).

5 – Leite em pó – com o Benício tive muita economia neste item, afinal ele mama no peito até hoje… mas a Chiara usou desde os 5 meses os leites próprios que custam entre R$ 20,00 a R$ 30,00 a lata (os mais simples, pois há os que custam mais de R$ 50,00 uma lata)…se a lata dura em média 3/4 dias…. vc. gastará umas 7 latas por mês….resultado: R$ 200,00 a mais no orçamento….Depois de 1 ano a Chiara começou a tomar Ninho normal, o que reduziu pela metade este gasto.

6 – Remédios….affff! Preparem-se, afinal tenho certeza que se vc. não tem filho, nem caixa de remédios vc. deve ter em casa….hehehehe, mas quando nasce tudo muda: remédios e mais remédios….. de todos os tipos, de todos os preços, os que não podem faltar nunca!!!

7 – No meu caso, o pediatra das crianças saiu do plano médico e a mamãe “fresca” quis pagar particular porque ele já estava acostumado com a família (agora mudei de cidade, e os dois nem estão indo em consultas, porque não achei nenhum pediatra….absurdo, né? Ou 8 ou 80!!!) Isto é para provar que nós também somos muito exigentes e queremos dar o que achamos melhor, mas quando somos retirados da nossa realidade, a regra muda e não é por isto que eles não estão saudáveis.

8 –  Brinquedos e acessórios diversos: todos vocês sabem que sou consumista, que um dia vou mudar, mas hoje  sou mais criança que eles… fico louca para completar uma coleção! E os marketeiros de hoje sabem disso, afinal todos os brinquedos são feitos por parte… ehehehehehe vc. ganha um e depois compra os outros 100!!!! Agora, sem exageros: por mais que vc. é controlado, sempre acaba comprando algum acessório, pois o filho pediu ou achou-se necessário….mesmo que mínimo, há um gasto com este item!

9 – Alimentação: neste quesito, há diversas variáveis – se a sua família come muito em casa, é lógico que o gasto é menor, porém conforme a criança vai crescendo, vc. vai gastando com aqueles alimentos de criança: danoninho, bisnaguinha, sucrilhos, farinha láctea, bolacha, suco Kapo…. se vai para escola: o seu orçamento aumenta porque precisa comprar lanche para levar (a não ser que estude em escolas que já fornecem o lanche, mas vc. estará pagando por isto tb.). Agora, quando saímos para comer fora..a falência chega!!! Só para vcs. terem noção: um Mc Donalds gastamos em média R$ 75,00 (eu, Juninho, Marina, Chiara), isto que o Benício ainda não come lá..depois poderemos acrescentar mais R$14,00..total R$ 90,00…. imagina um restaurante para valer???

10 – Passeios, parques, viagens, cinemas: não adianta, por mais que a sua família seja a favor das praças públicas, da praia, praticar esporte ao ar livre…vai chegar um mmento que vc, vai se deparar com um Hopi Hari, Parque da Xuxa,  pipoca de cinema, balão de gás hélio das Princesas ou do Carros….uma saída completa não  sai por menos de R$ 250,00.

entre outros detalhes que aparecem no meio do caminho: um curso específico, material escolar, uniforme, um passeio da escola, presente dia dos pais, dias das mães,natal, dia das crianças, páscoa, poupança, investimento para a faculdade… a lista não acaba!!!!

 

CALMA!!!! Desanimou? Nem pensar!

Ter filhos é a melhor coisa do mundo e todos sabem que por mim teria uns 5, 6,7… O que precisamos pensar é que não adianta também ter tudo e não ter o mais importante que é o AMOR!!! Temos que verificar se estamos ao lado deles, vendo todas as suas mudanças, o crescimento…pois não adianta nada trabalhar igual uma maluca para dar a parte financeira e não ficar com os nossos filhos!!!

Tudo é adaptável e para tudo dá-se um jeito… precisamos analisar se estamos comprando para eles ou para nós! Um barquinho feito de papel talvez tenha muito mais significado do que a coleção inteira da Barbie!!! Fazer um piquenique em casa, talvez seja muito mais legal do que ir para um restaurante TOP! Ter um berço desmontável ao lado da cama dos pais talvez seja muito mais aconchegante, do que ter um quarto super decorado e maravilhoso…não precisamos comprar roupas chiquérrimas, sendo que eles perderão rapidamente, hoje está muito na moda os “desapegos” na internet que são roupas semi novas e muitas vezes de marca, a um preço super acessível!

O que quero dizer é que podemos adaptar tudo, se deixamos de lado o que os outros pensam, querem ou o que a moda diz, estamos mais ABERTOS à mudanças, afinal gastamos poque a sociedade diz o que é certo ou o errado, sendo que, na verdade, não existe um modelo ideal… há o modelo da sua família, o que é melhor para vocês!!!

Lógico que precisamos ter um preparo financeiro sim, mas tudo se acomoda com o passar do tempo!!! Felicidade é AMOR!!! Pensem nisto, na hora de decidir… e vamos sempre usando a imaginação para equilibar o orçamento. quem nunca fez isto, né?????hehehehehehehe

Bjs a todas!

 

As diferenças de criação do 1º para o 2º filho! Imaginem quem tem o 3º, 4º, 5º….

Hi people!

Hoje, com certeza, as mães que estiverem lendo este post e que possuem mais de um filho irão se matar de rir!!! Além de se identificarem com algumas situações…hehehehe. Vamos lá?

Bom, com o primeiro filho nós temos todas as frescuras do mundo, tanto as necessárias como as completamente desnecessárias… ferve mamadeira a cada uso, lava a chupeta a cada caída, limpa a mão com álcool em gel a cada 2 segundos, tudo que cai no chão não vai para a boca nem pensar, tem medo que engasga, então dá um pedaço minúsculo de pão, tem medo que a criança caia e se machuque, então não deixa a criança fazer nada!Não é isto meninas?

Com a chegada do próximo filho, todas estas “neuroses” vão um pouco por água abaixo! Não é porque não temos mais medo ou não nos preocupamos mais, mas é que já possuímos uma certa experiência que nos deixa mais seguras das situações e atitudes e, o principal, é que é humanamente impossível dar a mesma qualidade de atenção para dois, três, quatro filhos…é impossível comparar quando vc. se dedica integralmente para um  e para vários. Por isso, eu sempre brinco, o BENÍCIO sobrevive sozinho…hehehehe (tadinho…)

Eu comecei a perceber isto logo nos primeiros dias de vida dele, pois bem no dia que ele estava todo lindo para fazer o teste do pezinho, câmeras a postos para fazer toda a assessoria de imprensa deste evento rsrsrs, colocamos os dois no carro (primeira saída em família), um de um lado, o outro do outro e eu no meio, primeira vez do Benício no bebê conforto (que não tem nada de conforto porque o recém-nascido é muito mole, normalmente a gente fica segurando a cabecinha)….tcham tcham tcham…eis que a Chiara passa mal e vomita no mundo!!! Ou seja, todo o trajeto de casa até a maternidade, eu não olhei para a cara do Benício (se a cabeça estava torta, se ele estava respirando, se o sol estava peganda na cara dele… nem imagino o que aconteceu!), eu simplesmente estava toda vomitada, acudindo a Chiara! Chegamos na maternidade…o que aconteceu??? Juninho foi embora com a Chiara para comprar um roupa para ela, eu entrei sozinha para fazer o teste do pezinho com ele…resultado: sem fotos do evento!!! e o pai tb. não presenciou o momento… (isto que só estávamos com duas crianças…)

A partir deste acontecimento, reparei que novamente a nossa vida teria que se adaptar… afinal, muitas vezes temos que nos dividir para atender as necessidades de cada filho. E coisas que fazíamos com naturalidade com um filho, agora foram repensadas: sair com dois filhos, sozinhos é uma aventura a parte, muitas vezes desisto! Dar banho nos dois um por vez, impossível (coloco os dois no banho ao mesmo tempo, loucura total), dormir quando o filho dorme (esquece, um dorme e o outro está a milhão)…. mas o que percebo é que cada vez mais desafiamos os nossos limites, ultrapassamos qualquer obstáculo (antes reclamava que a Chiara acordava um vez por noite, agora ultrapassei este limite e acordo umas 4/5 vezes por noite porque o Benício mama a cada hora…, mãe é isso…sempre além do que imaginamos ser impossível!!!

As preocupações são outras, hoje não tenho medo que ele engasgue com comida, mas tenho medo que ele engasgue com algum brinquedo pequeno da Chiara (mega perigoso), não me preocupo em lavar tudo que cai no chão o tempo todo, mas como ele é muito solto…tenho medo que ele coma algum bicho (já tirei vários da boca dele hehehe)… ou seja, eles são mais independentes, mas também são mais perigosos, pois não têm medo de nada!!! Sem falar que um filho não tem nada a ver com o outro…se a gente se acha a “experiente”, eles acabam com a nossa reputação, pois nada se repete!!! hehehehehe

No começo me sentia culpada, por não poder dar atenção a ele do jeito que gostaria, da mesma forma que me dediquei 100% a Chiara, mas percebi que estava sofrendo à toa, que ele já chegou ao mundo inserido na nossa família deste jeito, a Chiara que deveria sentir a divisão também curti demais estar com o irmão e muitas vezes ajuda a cuidar….ela grita: mãe o Benício está indo para a escada….hehehehe guardiã!!!! Então, precisamos nos adequar da melhor forma e SER FELIZ!!! E quando junta a Marina à trupe, aí que a família “firifinfim” está formada… não sei se teremos mais, mas se tivermos contarei a BAGUNÇA aqui paras vocês!!!!

O importante é não sentir culpa e saber que estamos SEMPRE fazendo o MELHOR que podemos. E com vocês aconteceu da mesma forma? Contem aqui, vou adorar saber… bjão a todos e até mais!

Segue mais uma matéria sobre a vida com mais filhos. Clique AQUI, para conferir o post sobre dicas para amenizarmos o ciúme quando a mãe engravida novamente.
image

 

Como tentar amenizar o ciúme do filho quando a mãe engravida novamente?

Oi pessoal! Este post é destinado para as mamães que estão planejando engravidar novamente e também para casos de filhos de casamentos diferentes…precisamos prestar muita atenção nas nossas atitudes para não desencadear ações e/ou sentimentos desnecessários, né?

Bom, tivemos duas situações muito diferentes quando se trata de ciúme e gravidez, porque a diferença de idade entre os irmãos foi muito diferente em cada gestação, confiram…

A primeira foi quando engravidei da Chiara: a Marina, que é filha do primeiro casamento do Juninho, ia fazer 10 anos, queria um irmão loucamente, já entendia toda a situação, mas o medo de ser menos amada, deixar de ser a princesa da familia, por mais que seja um sentimento inconsciente, isto rolou, mesmo porque ela cresceu sendo “a filha única” do dois lados: conosco e também do lado da mãe….tivemos toda uma preocupação de mostrar para ela que nada ia mudar, tentamos participá-la a todo momento de tudo: ultrassons, escolha de roupinhas, ficava colocando o ouvido na minha barriga… mas foi uma eterna relação de medo e felicidade o tempo todo, porque ela não sabia o que ia acontecer.

Quando a Chiara nasceu, tudo mudou: ela viu que nada se modificou,  e o amor dela pela Chiara é algo de outras vidas.

 

Aí fiquei grávida do Benício: como a Chiara tinha apenas 2 anos, a nossa dificuldade era explicar para ela a situação, porque vc. fala que tem um neném dentro da barriga da mamãe, mas eles não entendem, eles não conseguem materializar. Então, a nossa opção foi tentar participar a Chiara em tudo também…decoração do quarto, os adesivos que colamos na parede ela que escolheu…me ajudou a separar as roupinhas para a maternidade e por mais que o médico não permite…tentei não deixar de fazer as coisas com ela: dar banho, carregar no colo…fui até onde o meu corpo permitiu, ela poderia achar que o neném estava vindo para “tirar a mãe dela” ou algo parecido.

Em relação a Marina, também foi diferente e acho que desta vez, pecamos com ela, pois achamos que estava tudo certo, afinal ela tinha vivido a gravidez da Chiara, mas não foi bem assim…ela já estava com quase 13 anos e por incrível que pareça, ela ficou insegura, quando decobrimos que era um menino, não sei se passou pela cabeça de que o pai ia amar mais o menino…e quando o Benício nasceu ela estava viajando, então ela foi conhecer o irmão depois de 2 semanas..houve até uma resistência para ela ir conhecê-lo, acho que insegurança, medo de não amar o irmão como ama a irmã, sei lá, dá para imaginar de tudo… definitivamente, ficsmos tão preocupados com a Chiara que não passou pela nossa cabeça que a Marina poderia estar precisando de mais atenção que ela.

Com o passar do tempo (graças a Deus o TEMPO existe) tudo ficou perfeito…todo mundo ama todo mu ndo, ninguém perdeu espaço, o que acontece hoje, é que a Marina já está uma moça, então ela fica menos com a gente..afinal nesta idade, eles só querem ficar com os amigos e ir para festas, né? hehehehe

Bom, mas vamos as dicas, o que aprendemos com tudo isso:

1 – Dê tempo ao tempo: a criança também precisa do seu espaço e tempo para digerir uma informação

2 – PARTICIPAR: a criança não pode ter o sentimento que o neném vai roubar o seu espaço, os pais, o amor das pessoas….a criança tem que estar envolvida com a situação, tem que participar das decisões e temos que cumprir com o que prometemos, por exemplo, com a chegada do Benício, dois dos irmãos tinham que dormir juntos…quem decidiu quem ia dormir com quem foi a Marina (ela decidiu que ela dormiria com a Chiara e, o Benício teria seu quarto), eles têm que saber que suas opiniões são importantes e se forem coerentes serão atendidas, afinal SOMOS UMA FAMÍLIA!

3 – A gravidez não pode ser vista como algo que atrapalha o outro filho…por exemplo: a mamãe não pode  brincar porque está passando mal por causa da gravidez….com o tempo a criança associa tudo de ruim, temos que nos esforçar e quando não dá (afinal, passamos muito mal)… tentar explicar o processo da gravidez sempre sendo algo mágico e lúdico para a criança entender e ainda “defender” o irmão: a mamãe precisa dormir um pouco porque o seu irmão tb. está com sono,vamos contar uma história juntos para ele ouvir de dentro da barriga e dormir junto com a mamãe?….algo parecido, não sou tão criativa assim…hehehehehe

4- Contar para a criança como que aconteceram as coisas na época dela, eles se sentem importantes…sabe “fulano” quando a gente fez este exame com você, o seu dedinho estava na frente do seu nariz…do seu irmão está na perna…o seu quarto era lilás, do seu irmão é azul…esta roupinha era sua, vamos usar com o seu irmão?

5 – Quando o neném já estiver mexendo, estimular a interatividade entre os irmãos: sentir mexer, colocar o ouvido, fazer com que criança cante para o neném…vocês não têm noção: a Chiara brincava de esconde-esconde com a minha barriga, na verdade com o Benício que estava dentro da barriga hehehehe era muito engraçado!!!

Gente, eu acho que ficava horas aqui contando o que já passamos, o que foi bom ou não, mas o post já está enoooorrrrmmmeeee!!!! Espero que tenham gostado das dicas e conto com mais sugestões, afinal não somos donos da verdade e sempre o que dá certo para gente, pode não dar certo para o outro, né? Então, conto com a participação de todos…beijos!!!

Preciso de ajuda: qual será o tema da festa de 1 ano do Benício?

Oi pessoal!!!

Eu sei que ainda faltam 3 meses para o Benício fazer 1 ano, mas não posso achar que vai demorar para chegar o dia, preciso começar a organizar já!!!

E pensando no tema…definitivamente, não sei o que escolher! A Chiara amava os Backyardigans desde bebezinha, então tudo estava muito óbvio, a festa dela de um ano foi dos Backyardigans….mas com o Benício é diferente: ele não não fica parado na frente da TV nem 2 segundos, ele apronta muito… hehehe (tadinho), mas é verdade.. entre os brinquedos dele e a escada, ele escolhe a escada…entre os brinquedos dele e o guardanapo, ele escolhe o guardanapo….hehehehe e assim por diante!!! Ahhh…uma coisa que eu tenho certeza que ele ama é meu peito!!! hehehe mas não dá para fazer uma festa com este tema, né???? rrsrsrsrsrsrs

Além de todos estes detalhes, eu estou juntando tudo que é potinho e lata (de papinha, de batata Pringles, do shake da Herbalife…) porque o meu desejo é fazer a mesa /decoração “clean” que é a moda do momento e também forrar tudo com tecido e as iniciais do nome dele…de certa forma, mostrando para meus filhos um jeito de reutilizar materiais. Eu sei que vocês devem estar se perguntando…mas que horas você vai fazer tudo isso? Eu ainda não sei…mas no fim dá tudo certo! hehehehe

Já vi vários temas, acho todos lindos, mas nada fez eu me apaixonar de verdade!!! Vi um tema de LEGO (achei 10), de animais, jardim…do Thomas e seus amigos…affff não sei!!! 

NOOSSSAAA, vocês não vão acreditar, mas sabem o que me veio na minha cabeça agora???? E se eu fizesse como tema: a história dele neste 1 ano???

Por exemplo, o quarto dele é azul com bolinhas marrons, os tecidos poderiam ser assim… e toda a decoração baseada em fatos e fotos (nossa, “fatos e fotos” é o nome de uma música que eu amo de um grande amigo nosso @juninhobessa), mas voltando…o Benício foi e é muito marcante em tudo que ele faz ou acontece com ele: começou a engatinhar com 6 meses, o primeiro dente apareceu com 5 meses, não pega mamadeira, batalhamos muito no começo com a amamentação, pois ele mamava sangue de tanto que meu peito ficou machucado, sobe escada com uma tranquilidade tremenda…tem a sua personalidade muito bem definida.

O que vocês acham???

Bom, fiz este post porque preciso da ajuda de vocês, por favor, quero ideias, sugestões, criticas, palpites…tudo que imaginarem hehehehe…OBRIGADA DESDE JÁ!

Fiquem com algumas fotos que tirei da internet de temas diversos…conto com todos!!! Beijos

 

Esta foto abaixo é o tema certinho do quaro dele…

 http://happydaycgr.com.br/?p=426

http://www.meupedeamora.com.br/2011/04/festa-infantil-clean.html

 

Olhem esta foto com um móbile de fotos como decoração

http://umadoceart.blogspot.com/2011/07/festa-infantil-moderna.html

Olhem a de Lego que falei…

http://babyguidefestainfantil.blogspot.com/2012/01/decoracao-lego-para-meninos.html

http://festaeagora.blogspot.com/2012/04/festa-infantil-ideias-para-o-tema.html

Os carros que vocês utilizam têm trava automática? Fiquem atentos…aconteceu comigo!

Oi pessoal!

Bom, hoje quero dividir com vocês algo muito sério que aconteceu comigo no sábado, e que nunca imaginei que fosse passar por isto um dia, ou seja, cada vez mais, aprendo que NUNCA podemos julgar alguém, porque um dia pode acontecer com você, né?

Todo este suspense é para contar que quase tive um infarto porque, sem querer (lógico), prendi o Benício dentro do carro, em um calor de 45 graus de Ribeirão Preto.

Em 2 segundo tudo aconteceu….sai da loja de uma amiga minha com ele no colo e como estava cheia de coisas na mão, sem perceber, joguei tudo no banco da frente do carro (chave, celular, bolsa…) para poder colocá-lo na cadeirinha. Coloquei-o  e liguei o DVD (foi minha salvação), fechei a porta e….quando me virei para dar tchau, só ouvi o “CLAC”…. quando me toquei que não estava com a chave na mão, o desespero veio numa intensidade infinita… e mesmo sabendo que estava tudo trancado, nós demos a volta no carro tentando abrir!!!

Bom, o Benício não percebeu nada, pois estava assistindo o DVD e assim ficou, o que me deixou mais transtornada era o calor, pois sabia que tinha que tomar uma decisão logo, afinal era 12h, um “sol a pino”, ele ia passar mal em minutos. Chamei uns homens que estavam do outro lado da rua e pedi para que eles quebrassem o vidro do passageiro da frente, por incrível que pareça, eles se negaram…isto mesmo!!! Falaram que eu tinha que chamar “os homi”, até agora não sei se é a polícia ou o chaveiro. Aí apareceu um anjo que caiu do céu, o dono da loja do lado, pegou uma chave de fenda, forçou o vidro e quebrou!

Ufa…toda esta ação não durou mais que 5 minutos, mas o desespero e o nervoso é indescritível, fora a culpa: “eu tranquei o meu filho no carro”…inconsequente, como não tomou cuidado…e assim por diante!!! Nem preciso falar que passei o resto do dia “passada”, com dor no corpo todo, acho que foi do nervoso….eu tremia tanto!!!

Ah, e esqueci de contar que a minha amiga está grávida de 30 semanas e o medo dela passar mal depois porque ficou nervosa, mas não aconteceu nada, graças a Deus!

Fiz questão de dividir esta experiência péssima com vocês, para mostrar que em segundos tudo pode acontecer….então se vocês já são cuidadosos, aprendi que devemos redobrar os cuidados, toda precaução é bem vinda!

Aprendi a lição:

– toda vez vou reparar se a chave está comigo,

– vou abrir a porta do motorista antes (assim a porta não trava, vou saber o nome do meu seguro (pois como o Juninho troca sempre, nunca me preocupei em guardar),

– vou ter o telefone de um chaveiro gravado no meu celular e do seguro tb.,

–  vou estar sempre com o celular, neste caso era melhor ter colocado tudo em cima do carro….

 

Segue um post que já tinha publicado sobre prevenção de acidentes: http://viverbembom.com.br/dicas-de-seguranca-para-evitar-acidentes-na-infancia-de-0-a-12-anos/

Também segue um link de um arquivo em PDF sobre prevenção de acidentes domésticos em geral, que fala sobre carro: http://www.projetosegurancahumana.org/arquivos/qdmtch.pdf

E para desestressar um pouco, vejam a foto do Benício relaxando com o Papai, assim que chegou em casa.

Um beijo a todos e muito OBRIGADA a todos que me ajudaram neste momento difícil, sem estas pessoas não saberia o que fazer!!!

 

 

Vocês se sentem culpadas quando saem para trabalhar e deixam seus filhos?

Oi gente!

Este post estou fazendo para a Campanha CULPA NÃO da revista Pais & Filhos.

Todos os meses eles debatem  um assunto polêmico da maternidade que de alguma maneira nos trazem o sentimento de culpa, segue o link do facebook: https://www.facebook.com/#!/culpanao?fref=ts.

No mês de outubro é sobre a culpa que sentimos ao deixarmos nossos filhos para irmos trabalhar…e eu me identifiquei muito com este tema, afinal tenho aquela vida louca como a maioria das mães de hoje: trabalha, leva filho para a escola, dá comida, faz tarefa, arruma mala da escola, casa, marido….

Já me questionei várias vezes, o quanto valia a pena todo este esforço para uma “estabilidade financeira” e por outro lado não acompanhar o crescimento dos meus filhos…será que eles precisam ter tanto “conforto”? Isto vale a pena ficar longe da mãe? Será que crescerão crianças carentes? Um turbilhão de pensamentos e culpas vão surgindo ao mesmo tempo e, cada vez mais, nos cobramos para sermos uma MÃE melhor!

Também fico pensando: e quando eles crescerem….se eu parar de trabalhar…vou ser aquela mãe que só cuida da vida dos filhos? Vou me sentir inútil? E quando saírem de casa?…..ai meu Deus, vou me “jogar pela janela” hehehehehe.

Para quem me conhece, sabe que o ideal para mim seria trabalhar meio período, é o meu sonho de consumo… não seria nem 100% profissional, nem 100% mãe… o que falta é coragem para tomar esta decisão, afinal para tudo na vida dá-se um jeito…mas aí surge um outro sentimento de culpa…se trabalhar menos, vou ganhar menos, então  meus filhos vão ter que mudar de escola, não poderemos almoçar fora com frequência, nem dar aquele brinquedo que eles tanto querem….afffffff, confundimos tudo!!! Queremos dar amor em excesso, queremos estar ao lado dos nossos filhos em tempo integral, mas também queremos que eles tenham uma vida de reis e rainhas!!! Nem tudo na vida é possível…na verdade, este assunto é quase filosófico… a discussão nunca acaba, sempre há um porém, contudo, entretanto!

Admiro amigas que deixaram tudo para se dedicar ao filho e hoje se reinventaram para terem uma vida financeira estabilizada, mas também admiro as minhas amigas super profissionais que lidam com tranquilidade esta questão  e quando estão com os filhos, aproveitam cada segundo!!! E hoje é que estou colocando em prática (pelo menos tentando), se tenho três horas por dia para ficar com os meus filhos…tenho que transformá-las nas melhores horas do dia deles. Afinal, se eles são a nossa razão de viver, eles têm que saber e sentir que isto é a mais pura verdade….eles têm que saber  que depois que viramos mães, não tomamos nenhuma decisão sem pensar neles…e se estamos pendentes com tempo disponível, precisamos priorizar a qualidade! Precisamos apertar o botão de OFF e estar somente com eles de corpo e alma!

Bom, fácil falar, difícil executar, pois a culpa  está sempre nos assustando!!!

O importante é estarmos felizes, estarmos em busca da felicidade plena! E a culpa não combina com este sentimento, portanto meninas….CULPA NÃO!!! Será que conseguimos???

E vocês….como lidam com este sentimento?

bjs a todas…

 

 

 

 

Incentivando a Chiara a doar seus brinquedos

Oi gente,

Ontem, aqui em casa, tivemos uma missão quase impossível: pedimos para a Chiara separar seus brinquedos para doação. Usamos da tática que o Dia das Crianças está chegando e que para ganhar outros brinquedos, ela precisaria doar os que já não brinca mais, os que ela têm muitos, como bonecas, por exemplo, e explicamos que há muitas crianças que não possuem brinquedos para se divertir….e por aí foi!

Vocês irão conferir no vídeo o resultado, mas em alguns momentos ela separou e colocou na sacola sem titubear, mas em outras….a psicologia teve que ser forte! No final, tudo deu certo e a sacola ficou lotada de brinquedos!!!

Depois eu fui pesquisar (na verdade, fiz ao contrário, deveria ter pesquisado antes, mas tudo bem….) se tínhamos interagido com a Chiara de uma forma apropriada…e descobri que conseguimos. Vejam um trecho de uma matéria da Revista Claudia:

“Como incentivar os filhos a doarem brinquedos – Ensinar nossos filhos a conjugar o verbo doar, além de ser um exercício de solidariedade, os ajudará a entender que só há lugar para o novo quando nos desfazemos do velho. Escolha com eles quais roupas e brinquedos serão doados para que recebam novos e deixe que as crianças decidam a quem desejam oferecer os presentes. Os pais devem dar o exemplo e separar o que vão doar também. Sempre que possível leve os pequenos na hora de entregar o que separaram. Outra lição que se transmite é que quem doa acredita na abundância e terá sempre; já quem retém aposta na escassez. Educação financeira também trata de comportamento e escolhas.” Revista Claudia – 23/09/2011 http://claudia.abril.com.br/materia/ensine-seu-filho-a-reciclar-doar-brinquedos-e-respeitar-ordens/?p=/familia-e-filhos/criancas-e-adolescentes

Estes brinquedos serão doados para Campanha do Ribeirão Verde daqui de Ribeirão Preto. Se você quiser ajudar, fica o link que explico todos os detalhes da campanha. Participe!!! Ficaremos muito felizes! http://viverbembom.com.br/campanha-de-doacao-ribeirao-verde-participe-voce-tambem/

Agora com vocês….Chiara e seus brinquedos!!!

 

O que fazer com os nossos corações quando precisamos viajar sem os filhos???

Meninas….

Vocês já passaram por isto? Eu já….nada agradável!aff…

Na verdade, resolvi escrever sobre este assunto porque semana passada acompanhei o drama de uma amiga nossa blogueira, a Denise Freitas, do blog Mamy de Primeira. Confiram a história dela no blog…

Com o Benício  ainda não precisei viajar, mas com a Chiara aconteceu logo no meu retorno, quando ela tinha 6 meses. Fiquei dois dias fora de casa e o que me salvou foi que trabalhei tanto, mas tanto….que me deparei com a saudade mais na hora de dormir….aí que percebi que não poderia sentir aquele cheirinho gostoso ao meu lado na cama!

Quando cheguei em casa, abracei tanto, beijei tanto…que quase sufoquei a menina!! A partir disso, organizei as minhas viagens para que fossem realizadas em, no máximo, 3 dias, pois mais que isto eu já estaria me jogando do décimo andar…heheheheh

Não sei se vocês têm a mesma opinião que a minha, mas conforme o seu filho vai crescendo ….fica pior, pois quando ele é bebê, ele sente a sua falta, mas não entende o que está acontecendo…mas quando ele começa a falar…..sai de baixo!!! Vc. quer passar por dentro do telefone ou pela tela do skype para poder estar com ele!!! O coração chora quando ele diz: mamãe estou com saudades…quando você vai voltar? Tem que trabalhar muito ainda???

Nestas horas é difícil dar dicas e opiniões, mas seguem algumas “estratégias” que adotamos em casa:

1 – Tente não ficar sofrendo antes da viagem…isto só vai piorar para vc…. fica aquela angústia e vc. não consegue aproveitar os momentos antes da viagem com seus filhos.

2 – Se seu filho já entende a situação, por mais que ele vá sofrer, conte que vai viajar e quanto tempo vai ficar fora…pois já fizemos o teste de contar e não contar e simplesmente desaparecer……foi terrível! a Chiara chorava direto e ficou muito manhosa!!

3 – Quando estiver viajando…tente ocupar, ao máximo, sua cabeça para não ficar com o pensamento em casa…..pode ter certeza que vai sentir bem menos a distância, afinal os seus filhos estão ótimos, pois se acontecer alguma coisa séria, vc. será a primeira a saber.

4 – Não suma da vida do seu filho durante a viagem…. a criança acalma quando tem algum contato por telefone ou pelo skipe (melhor ainda).

5 – Quando voltar, é importante contar como foi legal a sua viagem, pois seu filho não pode associar com algo negativo..ele tem que gostar de ouvir as suas “aventuras” quando estava longe dele (não sei se é certo ou errado, mas lá em casa sempre rola um presentinho de viagem, coisa simples).

Bom, espero ter ajudado um pouquinho com estas dicas, mas quero saber….e vocês? Qual é a estratégia da família???? Quais foram as experiências de vocês?

Um beijão e até mais….