O que fazer quando os filhos passam mal durante uma viagem?

Oi gente!

Antes de contar para vcs sobre a nossa viagem para o litoral de Santa Catarina, queria ajudá-los a não passar o que passei tanto na ida como na volta: a Chiara vomitando  igual uma louca por ficar enjoada.
Bom, depois de quase precisar jogar o carro fora hehehehehe de tanto fedor…aprendemos algumas estratégias:

1- Forrar a cadeirinha da criança com um lençol ou manta – algo grande e mais grossinho, pois quando a criança vomita é só retirar esta proteção que está tudo limpo! Isto já me salvou algumas vezes….

2- Sempre ter no carro ou na bolsa trocas de roupas, no meu caso, sempre carrego umas 3 trocas quando vamos viajar!!! A Chiara  realmente vomita a cada curva….

3 – Água e lenços umedecidos são tudo na minha vida! hehehehehe… Assim conseguimos limpar a criança e tentar diminuir o odor.

4- Agora a Chiara avisa quando vai vomitar, então carregamos uns 10 saquinhos dentro carro,  já abertos e perto dela (lembrando que sempre colocamos dois saquinhos de uma vez, pois sempre têm um furinho…) Ela avisa e eu já corro colocando a cabeça dela dentro do saco. É uma maravilha….não vaza nada!!!

5- Com relação a alimentação, tento não dar leite antes e durante a viagem, segundo o médico, o leite fermenta e tem difícil digestão. Além de evitar muita comida, tento oferecer somente bolacha maizena ou água e sal, biscoito de polvilho (é mais fácil parar no estômago)…nem sempre consigo!

6- A Chiara assiste muito DVD no carro quando viajamos, mas quando entramos na serra, principalmente, peço para desligar e fechar os olhos, acredito que o enjôo seja menor.

7- Se estamos bem, eu e o Juninho sempre optamos a viagem começando na madrugada, lá pelas 3h / 4h da manhã…assim as crianças ainda estão dormindo e não sentem a viagem…as chances de passarem mal é menor, mas a Chiara já vomitou dormindo, portanto não é uma regra.

8- Por último, temos as opções de remédios, que recomendo vocês consultarem o pediatra, pois não é qualquer remédio que pode tomar em qualquer idade. Na nossa última viagem, utilizei o Dramin gotas, todos falaram que a Chiara iria dormir igual uma pedra, vc. acreditam que ela não piscou o olho???? Mas pelo menos não vomitou  que é o mais importante.

image

image

Gente, apesar do post de hoje ser um pouco nojento, espero que ajude a todos, afinal não escapamos  dessa fase da criança, né??? Uns mais outros menos… Mas também depois que viramos  pais  perdemos as frescuras, então está  tudo OK! HEHEHEHEHE

E com vocês, quais são as estratégias utilizadas???? Contem tudo aqui.

Um grande beijo!

Estamos de volta e de vida nova! Como estamos lidando com as crianças perante todas estas mudanças…

Oi gente! Que saudades….
Parece uma eternidade que não escrevo, mas apenas passaram-se 20 dias, afinal a família Viver Bem Bom estava tentando colocar a vida em ordem!
Bom, vou contar aqui para vocês um pouco das nossas férias no litoral catarinense, dar dicas de passeios, o que não é legal fazer com as  crianças quando estamos viajando….mas isto é assunto para outro post.
HOJE, quero falar sobre todas estas mudanças, como a Chiara, principalmente, está  lidando…
Para quem ainda não sabe, mudamos de cidade (motivo: trabalho), decidimos em 20 dias, agora estamos em Santos. Com isto, vieram várias questões que não tínhamos pensado: além da mudança de escola, óbvio… muda pediatra, dentista, amigos, rotina, aprender a viver em apartamento, perder medo da casa nova…. Como fica a cabeça da criança???
Deixamos em Ribeirão Preto muitas pessoas amigas e que tínhamos um certo “conforto”, pois realmente faziam parte da nossa vida, por exemplo, o pediatra da Chiara a viu  nascer! Sabe tudo dela…os dois se amam de paixão…. o que quero dizer é que não tiramos dela só os amigos, tiramos toda referência de vida!!!!
Bom, como estamos??? As aulas ainda não começaram para falar da adaptação a escola, mas a questão de ser praia está ajudando muito, pois se temos um tempinho a levamos para brincar, ainda bem q o apartamento é mais antigo e grande, acredito que o vizinho de baixo não escuta muita coisa, pois viver em apto ainda ela não aprendeu… deixa cair brinquedo, anda de bicicleta, pula adoidado hehehehehe….
O Juninho já era neurótico na casa em RP  em relação as redes de proteção, imagina agora….as crianças não entraram no apto enquanto as redes não estavam instaladas! Concordo plenamente, acidente acontece em segundos!
A gente não pensa em detalhes, mas até o elevador tivemos que explicar tintim por tintim todos os cuidados, não estava acostumada pegar elevador….ela abria a porta de casa e ia brincar na rua ou na casa dos amigos, sem medo!
A Chiara ainda está sem amigos para brincar, isto é que está difícil, pois sempre fala que está com saudades dos de RP (sempre liga para um no faz de conta…contando sobre o seu dia) e sem amigos ela fica muito grudada na gente, só que nem sempre conseguimos estar brincando… quando estamos em casa,  a prioridade é a brincadeira, mas temos que fazer comida, lavar roupa, arrumar a casa, temos o  Benício que está em uma fase difícil que só quer  andar, mas não anda ainda….só cai e dá susto (não dá para largar um segundo) e ela também quer e precisa de atenção total! Percebo que está carente, está fazendo algumas birras que não fazia antes, o comportamento está alterado. O que está nos ajudando muito é que a moça que trabalhava comigo em RP está passando o mês de janeiro conosco, então enquanto uma está arrumando a casa, a outra está com as crianças e quando eu saio ela só cuida das crianças sem piscar!
Em resumo, quero muito que as aulas comecem para a Chiara brincar com crianças e fazer novas amizades. Aí acredito que tudo vai melhorar e ela vai se sentir mais parte de  Santos!
A notícia boa é que já mudei muito de cidade e sei que é difícil, mas tudo dá certo e acostumamos com a nossa nova vida brevemente… estes dias o Juninho estava em depressão que não tinha amigos, que não conhecia ninguém… hehehehehe tirei sarro, mas ele entrou numa “fobia” por causa disso, realmente precisamos respeitar o momento e o tempo de cada um!
E eu? Estou feliz! Às vezes bate uma insegurança de preocupação com o nosso futuro, mas aprendi a me adaptar rapidamente, CONFIO EM DEUS e sei que tudo vai dar certo.
E vcs., já passaram ou estão passando por isso? Será que estou lidando da melhor forma com a Chiara? Deixem seus comentários…um grande beijo a todos, estava com saudades!

Vejam algumas fotos de passeios que já fizemos em Santos.

image

image

image

Como tentar amenizar o ciúme do filho quando a mãe engravida novamente?

Oi pessoal! Este post é destinado para as mamães que estão planejando engravidar novamente e também para casos de filhos de casamentos diferentes…precisamos prestar muita atenção nas nossas atitudes para não desencadear ações e/ou sentimentos desnecessários, né?

Bom, tivemos duas situações muito diferentes quando se trata de ciúme e gravidez, porque a diferença de idade entre os irmãos foi muito diferente em cada gestação, confiram…

A primeira foi quando engravidei da Chiara: a Marina, que é filha do primeiro casamento do Juninho, ia fazer 10 anos, queria um irmão loucamente, já entendia toda a situação, mas o medo de ser menos amada, deixar de ser a princesa da familia, por mais que seja um sentimento inconsciente, isto rolou, mesmo porque ela cresceu sendo “a filha única” do dois lados: conosco e também do lado da mãe….tivemos toda uma preocupação de mostrar para ela que nada ia mudar, tentamos participá-la a todo momento de tudo: ultrassons, escolha de roupinhas, ficava colocando o ouvido na minha barriga… mas foi uma eterna relação de medo e felicidade o tempo todo, porque ela não sabia o que ia acontecer.

Quando a Chiara nasceu, tudo mudou: ela viu que nada se modificou,  e o amor dela pela Chiara é algo de outras vidas.

 

Aí fiquei grávida do Benício: como a Chiara tinha apenas 2 anos, a nossa dificuldade era explicar para ela a situação, porque vc. fala que tem um neném dentro da barriga da mamãe, mas eles não entendem, eles não conseguem materializar. Então, a nossa opção foi tentar participar a Chiara em tudo também…decoração do quarto, os adesivos que colamos na parede ela que escolheu…me ajudou a separar as roupinhas para a maternidade e por mais que o médico não permite…tentei não deixar de fazer as coisas com ela: dar banho, carregar no colo…fui até onde o meu corpo permitiu, ela poderia achar que o neném estava vindo para “tirar a mãe dela” ou algo parecido.

Em relação a Marina, também foi diferente e acho que desta vez, pecamos com ela, pois achamos que estava tudo certo, afinal ela tinha vivido a gravidez da Chiara, mas não foi bem assim…ela já estava com quase 13 anos e por incrível que pareça, ela ficou insegura, quando decobrimos que era um menino, não sei se passou pela cabeça de que o pai ia amar mais o menino…e quando o Benício nasceu ela estava viajando, então ela foi conhecer o irmão depois de 2 semanas..houve até uma resistência para ela ir conhecê-lo, acho que insegurança, medo de não amar o irmão como ama a irmã, sei lá, dá para imaginar de tudo… definitivamente, ficsmos tão preocupados com a Chiara que não passou pela nossa cabeça que a Marina poderia estar precisando de mais atenção que ela.

Com o passar do tempo (graças a Deus o TEMPO existe) tudo ficou perfeito…todo mundo ama todo mu ndo, ninguém perdeu espaço, o que acontece hoje, é que a Marina já está uma moça, então ela fica menos com a gente..afinal nesta idade, eles só querem ficar com os amigos e ir para festas, né? hehehehe

Bom, mas vamos as dicas, o que aprendemos com tudo isso:

1 – Dê tempo ao tempo: a criança também precisa do seu espaço e tempo para digerir uma informação

2 – PARTICIPAR: a criança não pode ter o sentimento que o neném vai roubar o seu espaço, os pais, o amor das pessoas….a criança tem que estar envolvida com a situação, tem que participar das decisões e temos que cumprir com o que prometemos, por exemplo, com a chegada do Benício, dois dos irmãos tinham que dormir juntos…quem decidiu quem ia dormir com quem foi a Marina (ela decidiu que ela dormiria com a Chiara e, o Benício teria seu quarto), eles têm que saber que suas opiniões são importantes e se forem coerentes serão atendidas, afinal SOMOS UMA FAMÍLIA!

3 – A gravidez não pode ser vista como algo que atrapalha o outro filho…por exemplo: a mamãe não pode  brincar porque está passando mal por causa da gravidez….com o tempo a criança associa tudo de ruim, temos que nos esforçar e quando não dá (afinal, passamos muito mal)… tentar explicar o processo da gravidez sempre sendo algo mágico e lúdico para a criança entender e ainda “defender” o irmão: a mamãe precisa dormir um pouco porque o seu irmão tb. está com sono,vamos contar uma história juntos para ele ouvir de dentro da barriga e dormir junto com a mamãe?….algo parecido, não sou tão criativa assim…hehehehehe

4- Contar para a criança como que aconteceram as coisas na época dela, eles se sentem importantes…sabe “fulano” quando a gente fez este exame com você, o seu dedinho estava na frente do seu nariz…do seu irmão está na perna…o seu quarto era lilás, do seu irmão é azul…esta roupinha era sua, vamos usar com o seu irmão?

5 – Quando o neném já estiver mexendo, estimular a interatividade entre os irmãos: sentir mexer, colocar o ouvido, fazer com que criança cante para o neném…vocês não têm noção: a Chiara brincava de esconde-esconde com a minha barriga, na verdade com o Benício que estava dentro da barriga hehehehe era muito engraçado!!!

Gente, eu acho que ficava horas aqui contando o que já passamos, o que foi bom ou não, mas o post já está enoooorrrrmmmeeee!!!! Espero que tenham gostado das dicas e conto com mais sugestões, afinal não somos donos da verdade e sempre o que dá certo para gente, pode não dar certo para o outro, né? Então, conto com a participação de todos…beijos!!!