Vocês tiveram depressão pós-parto? Eu ainda não sei…

Oi gente!

 

Esta semana recebi o convite da Revista Pais & Filhos para escrever sobre “depressão pós-parto”, que é o tema deste mês da Campanha Culpa, Não!

culpa nao

Na mesma hora pensei: eu não tive depressão pós-parto, não posso escrever sobre este assunto! o que fazer?

Depois de 2 segundos parei e pensei: será que realmente não tive? hummm… vamos analisar!

Bom, fiquei na dúvida por que, como todos sabem, já escrevi AQUI  sobre isso: na primeira gravidez eu não tinha noção de nada, então tudo que consegui fazer e aprender foi um ganho para mim. Não houve frustrações porque não havia expectativas geradas. Aprendi a ser mãe e a dividir este amor para continuar a ter uma relação saudável com meu marido, mesmo com todas as mudanças.

Já na segunda gravidez, tudo foi muito tranquilo, porque já “SABIA” tudo a meu ver, já sabia tudo que iria acontecer… (coitada de mim, né?!?). Realmente, você já é mais experiente: já sabe o que levar para a maternidade, já sabe a quantidade de roupas que deve comprar ou não, o que foi útil, já sabe o que pode ou não comer…. mas, infelizmente, emoções e sentimentos não conseguimos controlar, mesmo sabendo o que é melhor ou o que é óbvio, não é?

E foi assim que aconteceu: fui para a maternidade, Benício nasceu, a Chiara foi a primeira pessoa que viu o irmão depois da sala de parto, passamos a noite no hospital e….fomos para casa!!! Na minha cabeça, tudo seria normal como na primeira vez, só esqueci de um detalhe: AGORA TENHO DOIS FILHOS!!!

Aí que minha “depressão pós-parto” (não sei se posso chamar deste jeito) começou: o que fazer  para dar atenção aos dois com a mesma qualidade? Como explicar para a Chiara que naquele momento, não poderia brincar com ela, pois estava dando de mamar… como poderia entender que estava sozinha com o Benício, pois meu marido tinha que sair sozinho com a Chiara para distraí-la… queria todos ao meu redor, precisava de atenção, precisava dar atenção! Como entender que de manhã, antes do Benício nascer,  ela era exclusiva e agora depois de alguns minutos, não mais!!!

Hoje, falo para vocês que AMO os dois igualzinho e não tem como separar, medir ou exemplificar… eles para mim são únicos, são meus tesouros!!! Mas, como foi difícil no começo, sentia muita falta da Chiara, de estar com ela, dar atenção, brincar, ajudar. Nem preciso falar que chorei muito, sofri, fiquei deprimida, mas como tudo na vida, com o tempo, tudo passa!

image

Aprendi que não sou culpada, aprendi que há momentos que um precisa mais de mim que o outro, aprendi a ensinar que eles necessitam entender que SOMOS FAMÍLIA e que todos precisam doar e receber, não da mesma forma, nem ao mesmo tempo, mas com grande INTENSIDADE!

image

Agora me pergunto: será que estes sintomas tem algo a ver com algum tipo de depressão pós-parto? Em nenhum momento houve rejeição ao Benício, muito pelo contrário, mas houve o vazio formado com a falta da Chiara…complicado, né?

 

Bom, como gosto de dividir experiências, sempre deixei claro que espero ter o meu terceiro, quarto, quinto… filho!!! Afinal, só assim para saber o que acontece, né??? hehehehehe

Agora, é com vocês… tiveram ou não depressão pós-parto? Quais sintomas? Como melhoraram? Por favor, contem tudo!

 

um grande bj e até mais!

 

9 thoughts on “Vocês tiveram depressão pós-parto? Eu ainda não sei…

  1. Oi Camila! Muito bom ler seu depoimento porque a gente se identifica e fica tudo mais confortável né? Eu tb não sei se posso chamar de depressao, mas quando tive meu segundo filho fiquei bem mal, porque me sentia abandonando o primeiro que s;o tinha 1 ano e nove meses, fiquei mais desesperada do que mae de primeira viagem, uma pediatra do postinho cogitou que poderia estar com depressao pós parto, mas meu pai que é psiquiatra achou que não era o caso de medicar… gde beijo e aperto de bochecha da chiara e no benicio (tia mala rs)

  2. Eu não tive depressão, o que foi bom, mas preparei tudo para que meu filho conhecesse o novo irmã de forma exclusiva, um momento só dele, isso me fez me apaixonar mais por eles, meus lindos. Mas acredito que cada um reaja de uma forma, e temos que colocar a culpa de lado, somos humanos, sentimos coisas que as vezes nem tem explicação e o melhor é aceitar esse momento, viver que no fim tudo dá certo. Bjs

  3. Ca… que lindo seu relato!
    eu tivebaby blues… chorava por tudo, durou uns 15 dias.
    Chorava por ver meus filhos perfeitos, chorava porque conseguia amamenta-los, chorava por não saber se daria conta… enfim, era emoção a flor da pele.
    Mas passou rápido.
    Hoje ainda me pego emotiva em alguns momentos, mas com mais serenidade… Caso contrário seria depressão mesmo ne?
    beijao
    Lele

  4. Independente de ser ou não depressão pós parto, a verdade é que existem muitos momentos em que cansamos, nos frustramos e sofremos. E isso faz parte do mundo cor de rosa da maternidade. Não é fácil ser mãe de um, de dois ou três fica mais complicado ainda. O importante é a gente identificar esses momentos e lidar com ele!
    bjos
    #amigacomenta
    http://www.mamaeneura.com

  5. Camila, eu imagino que não deva ser fácil ser mãe de dois por esse motivo. Dividir a atenção que um dia foi de um, para dois deve deixar qualquer mãe doida! Eu nao tive depressão pós-parto, na verdade acho que nao tive tempo pra perceber se algo estava errado comigo. Não tive ajuda de ninguém da família, foi somentente eu e meu marido todo o tempo e ele trabalhava o dia todo, então, se eu tive algum indicio ou sintoma, passou rapidinho entre os banhos, as fraldas e os mamas! bjsss
    Tamy #amigacomenta

  6. Eu não sei se tive DPP, estou mais no caso da Helena Sordili, sou muito emotiva e choro por qualquer coisa, então no começo tbm chorava por tudo, esses dias chorei sem que ela visse claro por ter chamado a atenção dela, coisa de mãe…hehehehe.
    Mas tenho uma amiga que teve e muito forte, chegou a ficar internada por ter tentado se matar, foi muito difícil, mas graças a Deus ela se recuperou hoje tem um casal de filhos lindos.
    Bjs
    #amigacomenta

  7. Oi, Camila.

    Ainda não tive minha bebê (ela chega em julho), mas acredito que são muita mudanças de repente. Muitas exigências e principalmente muita culpa. Isso pode, sim, acabar gerando uma depressão. Quem disse que as mães são heroínas imbatíveis e incansáveis? Também temos nossas fraquezas, como qualquer ser humano, Estou procurando ler o máximo e me informar sobre tudo. Afinal, essa é a melhor arma que eu tenho para me preparar e lidar melhor com o turbilhão de sentimentos que deve chegar junto com a Marina.

    Beijos! #amigacomenta

    http://casacozinhaefraldatrocada.wordpress.com

  8. Oi Ca, amei o seu relato muito lindo! Não sei como é ser mãe de dois rs. Mas eu tive depressão pós-parto, pela minha idade, pela responsabilidade e também por não saber o que fazer em algumas horas. Foi bem de leve, não tomei remédio.
    Beijos Ca

Obrigada pela participação! Um grande abraço da Família Viver Bem Bom