Quase 4 anos se passaram… e finalmente… Estamos de volta!

Olá!!!!!!!

Isto mesmo! Não se assustem, pois apesar de querer muito, não estou grávida novamente! kkkkkk

Apenas faz muito tempo que queríamos voltar, mas sabíamos que ainda não estávamos preparados.

Ouvi muito, mas muitooooo: Camila não acredito que vc deixou tudo para trás. Na verdade, não deixamos, pois o Blog da Família continuou vivo por todos estes anos, ajudando milhares de famílias pelo Brasil e fora dele. Apenas precisávamos escolher, naquele momento o que queríamos ser: blogueiros profissionais focados nesta carreira ou focar na nossa carreira dentro do setor de Educação que já trabalhávamos há muito tempo.

Muitas coisas aconteceram nestes quase 4 anos (temos muitas experiências para compartilhar):

1 – As crianças cresceram (hoje a Chiara tem 8 anos, o Benício não é mais meu bebê e tem 5 anos e, agora, para chocar, a Marina é maior de idade, tem 18 anos – detalhe: acabou de tirar carta)

 

20161207_233515
2 – Outra realidade que não podemos negar é que o casal 20 está mais velho kkkk, mas também mais amadurecido em diversos setores da vida: tanto familiar, como profissional e também na nossa vida de casal e de indivíduo, como SER único.

WhatsApp Image 2017-04-02 at 22.38.03

3 – Mudamos de Santos para Curitiba… trabalhei na escola que estudei no Ensino Médio (depois não acreditam que o mundo é pequeno e dá voltas). E pela primeira vez, resgatei memórias e lembranças da infância e da adolescência. Foram quase dois anos muito bem vividos e com muita nostalgia…. “filha, era nesta praça que sua mãe vinha brincar quando tinha a sua idade”, frequento este restaurante desde a idade do Benício”… nem preciso continuar, né? kkkkkkkk

IMG_6145

4 – Porém o sonho Curitibano acabou em outubro de 2015 e voltamos para a nossa terrinha Ribeirão Preto por questões, como sempre, profissionais. E pela primeira vez na minha vida, tive problemas em me adaptar novamente à cidade (e olha que achei que nunca passaria por isto, afinal mudar sempre foi algo normal em minha vida desde pequena: já devo ter morado em umas 20 residências diferentes, mudei de escola umas 8 vezes e de cidade mais umas mais umas 9 vezes).

 

5 – E esta dificuldade de adaptação despertou dentro de mim uma nova Camila que ainda está se descobrindo e tentando se entender como mãe, esposa, filha, profissional, mulher, ou seja, minha missão no mundo. (Para este assunto em especial, teremos muito o que falar kkkk).

IMG_2527

6 – E esta nova Camila começou a procurar e descobrir novos caminhos, novos hobbies, novas atitudes….

7- Busquei algo que sempre tive vontade, mas nunca fiz com constância – Agir na área social – trabalho voluntário junto com a Família inteira (experiência está sendo fantástica, principalmente para as crianças).

WhatsApp Image 2017-04-02 at 22.46.52

 

8 – Busquei cursos nesta área para entender mais sobre como GERAR IMPACTOS SOCIAIS, isto mesmo, hoje sou certificada internacionalmente – Posso atuar como Gerente de Projetos Sociais.

9 – No meio do caminho, conheci pessoas maravilhosas, uma delas fez com que eu relembrasse dentro de mim o meu INGLÊS. Sim, hoje sou fluente na língua e presto um serviço social de Monitoria em uma Instituição de Ensino Superior em um grupo avançado de inglês.

10 – Consequentemente, comecei fazer cursos online em Inglês pela plataforma do EDX.
– Fiz pela Universidade de Michigan um curso de Social Work,
– Pela MIT um curso de Desenvolvimento de Políticas de Desenvolvimento,
– E agora estou fazendo um de Harvard sobre o Engajamento Familiar na educação dos filhos. (estou me achando kkkk)

IMG_2110 (1)

11- E os planos não param por aí, além do meu trabalho tradicional com Educação, meu marido e eu resolvemos pensar no nosso futuro (já que aposentadoria não será MESMO a solução). Faz 1 mês que adquirimos uma LOJA ONLINE DA POLISHOP (agora sou empreendedora)!

Vejam o link: www.polishop.com.vc/camilalorenz

Cartão polishop menor resolução

 

12 – Ufaaaaaa, agora vamos falar da coisa mais importante… e a FAMÍLIA VIVER BEM BOM, como está? Mesmo com todos estes furacões bons em nossas vidas, estamos sempre unidos e em primeiro lugar. Lógico que agora, as preocupações são outras… as crianças já são quase independentes kkkkk (brincadeira), mas, na real, assusta e muito… ao mesmo tempo nos enchem de orgulho e amor a todo momento. Mas tb tenham a certeza que será assunto de muitos posts.

IMG_1757 (1)WhatsApp Image 2017-04-02 at 22.54.04WhatsApp Image 2017-04-02 at 22.40.06

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Meus queridos, o que estava faltando era tomar a decisão e voltar para este nosso BLOG que sempre cuidamos com muito carinho. E quando percebemos que mesmo desatualizado, ele chegou em mais de meio milhão de acessos, isto nos deu forças para voltar e continuar ajudando, aprendendo, evoluindo com todos vocês, nossos leitores.

Tenho certeza que já escrevi demais, mas a FELICIDADE que estou por dentro é indescritível…. Escrever este post para vocês comunicando a notícia “we are back again” fez muito mais bem para mim do que para qualquer um de vocês, acreditem nisto!!!!

 

 

 

IMG_2456

Então por este grande motivo, quero terminar este post, com duas palavras…. OBRIGADA E GRATIDÃO. Sem vocês não saberíamos o quão importante é o nosso papel para muitas famílias comuns, como nós, que querem como um bem maior, A FELICIDADE DOS SEUS FILHOS.

Até breve.

Família Viver Bem Bom

 

Como a CULPA te ajudou a mudar positivamente!!! Tema do mês Campanha “Culpa, Não!” da Revista Pais & Filhos

Oi gente!

Hoje o post é muito especial. Como todos sabem, eu curto e participo da campanha CULPA, NÃO! da Revista Pais & Filhos (https://www.facebook.com/#!/culpanao?fref=ts). Clique AQUI e   AQUI   para conferir outros links sobre este assunto.

 

E esta semana, fiquei muito feliz ao receber um convite para colaborar com meu depoimento sobre o tema da campanha deste mês: COMO A CULPA TE AJUDOU A MUDAR POSITIVAMENTE! Ou seja… CULPA, SIM! Ainda bem que surgiu a culpa… hehehehe

Bom, fiquei pensando em diversas situações que aconteceram e que me fizeram mudar de atitudes, mas o que me veio com significância foi o meu DESPREPARO TOTAL NA GRAVIDEZ da minha primeira filha: da Chiara.

Quando penso em tudo que aconteceu por imaturidade minha, surge uma culpa enorme, porém se me transformei nesta “SUPER MÃE” que me considero, acredito que este momento da minha vida foi o principal responsável por esta mudança.

Mas, o que aconteceu????

Bom, fiquei grávida sem planejar, afinal não tinha tempo para ter filhos, já que o trabalho estava em primeiro lugar! Além do susto, misturado com alegria, fiquei sabendo que estava grávida, mas durante toda a gravidez continuei o mesmo ritmo frenético, por mais que os outros falassem que tinha uma VIDA dentro de mim, que só dependia do meu amor e dos meus cuidados, achava que tudo era normal e que nada tinha que mudar, mesmo VALORIZANDO a gravidez e estar muito feliz, eu não tinha NENHUMA noção do que era isso.

Os meses foram passando e a gravidez complicou: tive várias infecções urinárias (umas 15 no total), e entre uma dessas, com 6 meses, tive que internar, pois não conseguiam mais controlar. O engraçado que fiz tudo que uma grávida faz no quesito “status”: chá de bebê, decoração do quarto, enxoval, mas o mais importante que era diminuir o ritmo, cuidar de mim e da minha filha… nem passou perto! Para vocês terem noção, eu não me interessava nem em ler ou fazer cursos sobre gravidez (fiz um curso de gestante com a irmã de uma amiga nossa uma semana antes de ter a Chiara, porque ela insistiu muito!). Não sei se este meu comportamento foi porque meu marido já tinha uma filha, a Marina, então estava tranquila porque ele era “experiente”, ou se porque na minha cabeça, ter um filho, era como qualquer mudança na vida da gente: temos que fazer um check list das coisas que temos que fazer e se preparar: como para uma festa de aniversário, ou uma mudança de casa… SIMPLES ASSIM! Inacreditável, né?

Nem preciso falar que o parto da Chiara foi de emergência, né? O médico querendo me avisar que a minha filha tinha que nascer naquela hora, pois ela estava correndo risco de vida (estava com o cordão muito enrolado e muito apertado no pescoço) e eu preocupada com o evento que eu tinha que organizar a noite!!!

Ela nasceu, graças a Deus, tudo certo, mas, à noite tive mais uma lição: a pessoa que estava ao meu lado no quarto, teve a notícia na minha frente que a filha teve complicações e infelizmente não sobreviveu! Resultado: passei a noite inteira tentando consolar esta mãe! E pensando que isto poderia ter acontecido comigo, afinal a todo momento estive no limite e nunca tinha me tocado disso!

Depois de tudo que relatei a vocês, é impossível não EXISTIR CULPA, porém apenas hoje consigo ver como fui ABENÇOADA em todos os momentos e como APRENDI A AMAR VERDADEIRAMENTE. Aprendi a ser mãe, me tornei uma mãe de verdade e todos que me conhecem sabem que por mim teria mais uns 10 filhos. Nâo há uma realização maior! Tudo fica muito pequeno quando o assunto principal são SEUS FILHOS!

Na gravidez do Benício curti cada segundo… aprendi a amar a Marina, minha enteada, como minha filha também e espero ainda poder ser abençoada novamente! Ser mãe possibilitou-me a ser uma pessoa muito melhor! AMOOOOO  MUTO….um grande bj e até mais!

bike

Estamos de volta e de vida nova! Como estamos lidando com as crianças perante todas estas mudanças…

Oi gente! Que saudades….
Parece uma eternidade que não escrevo, mas apenas passaram-se 20 dias, afinal a família Viver Bem Bom estava tentando colocar a vida em ordem!
Bom, vou contar aqui para vocês um pouco das nossas férias no litoral catarinense, dar dicas de passeios, o que não é legal fazer com as  crianças quando estamos viajando….mas isto é assunto para outro post.
HOJE, quero falar sobre todas estas mudanças, como a Chiara, principalmente, está  lidando…
Para quem ainda não sabe, mudamos de cidade (motivo: trabalho), decidimos em 20 dias, agora estamos em Santos. Com isto, vieram várias questões que não tínhamos pensado: além da mudança de escola, óbvio… muda pediatra, dentista, amigos, rotina, aprender a viver em apartamento, perder medo da casa nova…. Como fica a cabeça da criança???
Deixamos em Ribeirão Preto muitas pessoas amigas e que tínhamos um certo “conforto”, pois realmente faziam parte da nossa vida, por exemplo, o pediatra da Chiara a viu  nascer! Sabe tudo dela…os dois se amam de paixão…. o que quero dizer é que não tiramos dela só os amigos, tiramos toda referência de vida!!!!
Bom, como estamos??? As aulas ainda não começaram para falar da adaptação a escola, mas a questão de ser praia está ajudando muito, pois se temos um tempinho a levamos para brincar, ainda bem q o apartamento é mais antigo e grande, acredito que o vizinho de baixo não escuta muita coisa, pois viver em apto ainda ela não aprendeu… deixa cair brinquedo, anda de bicicleta, pula adoidado hehehehehe….
O Juninho já era neurótico na casa em RP  em relação as redes de proteção, imagina agora….as crianças não entraram no apto enquanto as redes não estavam instaladas! Concordo plenamente, acidente acontece em segundos!
A gente não pensa em detalhes, mas até o elevador tivemos que explicar tintim por tintim todos os cuidados, não estava acostumada pegar elevador….ela abria a porta de casa e ia brincar na rua ou na casa dos amigos, sem medo!
A Chiara ainda está sem amigos para brincar, isto é que está difícil, pois sempre fala que está com saudades dos de RP (sempre liga para um no faz de conta…contando sobre o seu dia) e sem amigos ela fica muito grudada na gente, só que nem sempre conseguimos estar brincando… quando estamos em casa,  a prioridade é a brincadeira, mas temos que fazer comida, lavar roupa, arrumar a casa, temos o  Benício que está em uma fase difícil que só quer  andar, mas não anda ainda….só cai e dá susto (não dá para largar um segundo) e ela também quer e precisa de atenção total! Percebo que está carente, está fazendo algumas birras que não fazia antes, o comportamento está alterado. O que está nos ajudando muito é que a moça que trabalhava comigo em RP está passando o mês de janeiro conosco, então enquanto uma está arrumando a casa, a outra está com as crianças e quando eu saio ela só cuida das crianças sem piscar!
Em resumo, quero muito que as aulas comecem para a Chiara brincar com crianças e fazer novas amizades. Aí acredito que tudo vai melhorar e ela vai se sentir mais parte de  Santos!
A notícia boa é que já mudei muito de cidade e sei que é difícil, mas tudo dá certo e acostumamos com a nossa nova vida brevemente… estes dias o Juninho estava em depressão que não tinha amigos, que não conhecia ninguém… hehehehehe tirei sarro, mas ele entrou numa “fobia” por causa disso, realmente precisamos respeitar o momento e o tempo de cada um!
E eu? Estou feliz! Às vezes bate uma insegurança de preocupação com o nosso futuro, mas aprendi a me adaptar rapidamente, CONFIO EM DEUS e sei que tudo vai dar certo.
E vcs., já passaram ou estão passando por isso? Será que estou lidando da melhor forma com a Chiara? Deixem seus comentários…um grande beijo a todos, estava com saudades!

Vejam algumas fotos de passeios que já fizemos em Santos.

image

image

image

Vocês se sentem culpadas quando saem para trabalhar e deixam seus filhos?

Oi gente!

Este post estou fazendo para a Campanha CULPA NÃO da revista Pais & Filhos.

Todos os meses eles debatem  um assunto polêmico da maternidade que de alguma maneira nos trazem o sentimento de culpa, segue o link do facebook: https://www.facebook.com/#!/culpanao?fref=ts.

No mês de outubro é sobre a culpa que sentimos ao deixarmos nossos filhos para irmos trabalhar…e eu me identifiquei muito com este tema, afinal tenho aquela vida louca como a maioria das mães de hoje: trabalha, leva filho para a escola, dá comida, faz tarefa, arruma mala da escola, casa, marido….

Já me questionei várias vezes, o quanto valia a pena todo este esforço para uma “estabilidade financeira” e por outro lado não acompanhar o crescimento dos meus filhos…será que eles precisam ter tanto “conforto”? Isto vale a pena ficar longe da mãe? Será que crescerão crianças carentes? Um turbilhão de pensamentos e culpas vão surgindo ao mesmo tempo e, cada vez mais, nos cobramos para sermos uma MÃE melhor!

Também fico pensando: e quando eles crescerem….se eu parar de trabalhar…vou ser aquela mãe que só cuida da vida dos filhos? Vou me sentir inútil? E quando saírem de casa?…..ai meu Deus, vou me “jogar pela janela” hehehehehe.

Para quem me conhece, sabe que o ideal para mim seria trabalhar meio período, é o meu sonho de consumo… não seria nem 100% profissional, nem 100% mãe… o que falta é coragem para tomar esta decisão, afinal para tudo na vida dá-se um jeito…mas aí surge um outro sentimento de culpa…se trabalhar menos, vou ganhar menos, então  meus filhos vão ter que mudar de escola, não poderemos almoçar fora com frequência, nem dar aquele brinquedo que eles tanto querem….afffffff, confundimos tudo!!! Queremos dar amor em excesso, queremos estar ao lado dos nossos filhos em tempo integral, mas também queremos que eles tenham uma vida de reis e rainhas!!! Nem tudo na vida é possível…na verdade, este assunto é quase filosófico… a discussão nunca acaba, sempre há um porém, contudo, entretanto!

Admiro amigas que deixaram tudo para se dedicar ao filho e hoje se reinventaram para terem uma vida financeira estabilizada, mas também admiro as minhas amigas super profissionais que lidam com tranquilidade esta questão  e quando estão com os filhos, aproveitam cada segundo!!! E hoje é que estou colocando em prática (pelo menos tentando), se tenho três horas por dia para ficar com os meus filhos…tenho que transformá-las nas melhores horas do dia deles. Afinal, se eles são a nossa razão de viver, eles têm que saber e sentir que isto é a mais pura verdade….eles têm que saber  que depois que viramos mães, não tomamos nenhuma decisão sem pensar neles…e se estamos pendentes com tempo disponível, precisamos priorizar a qualidade! Precisamos apertar o botão de OFF e estar somente com eles de corpo e alma!

Bom, fácil falar, difícil executar, pois a culpa  está sempre nos assustando!!!

O importante é estarmos felizes, estarmos em busca da felicidade plena! E a culpa não combina com este sentimento, portanto meninas….CULPA NÃO!!! Será que conseguimos???

E vocês….como lidam com este sentimento?

bjs a todas…

 

 

 

 

O que fazer com os nossos corações quando precisamos viajar sem os filhos???

Meninas….

Vocês já passaram por isto? Eu já….nada agradável!aff…

Na verdade, resolvi escrever sobre este assunto porque semana passada acompanhei o drama de uma amiga nossa blogueira, a Denise Freitas, do blog Mamy de Primeira. Confiram a história dela no blog…

Com o Benício  ainda não precisei viajar, mas com a Chiara aconteceu logo no meu retorno, quando ela tinha 6 meses. Fiquei dois dias fora de casa e o que me salvou foi que trabalhei tanto, mas tanto….que me deparei com a saudade mais na hora de dormir….aí que percebi que não poderia sentir aquele cheirinho gostoso ao meu lado na cama!

Quando cheguei em casa, abracei tanto, beijei tanto…que quase sufoquei a menina!! A partir disso, organizei as minhas viagens para que fossem realizadas em, no máximo, 3 dias, pois mais que isto eu já estaria me jogando do décimo andar…heheheheh

Não sei se vocês têm a mesma opinião que a minha, mas conforme o seu filho vai crescendo ….fica pior, pois quando ele é bebê, ele sente a sua falta, mas não entende o que está acontecendo…mas quando ele começa a falar…..sai de baixo!!! Vc. quer passar por dentro do telefone ou pela tela do skype para poder estar com ele!!! O coração chora quando ele diz: mamãe estou com saudades…quando você vai voltar? Tem que trabalhar muito ainda???

Nestas horas é difícil dar dicas e opiniões, mas seguem algumas “estratégias” que adotamos em casa:

1 – Tente não ficar sofrendo antes da viagem…isto só vai piorar para vc…. fica aquela angústia e vc. não consegue aproveitar os momentos antes da viagem com seus filhos.

2 – Se seu filho já entende a situação, por mais que ele vá sofrer, conte que vai viajar e quanto tempo vai ficar fora…pois já fizemos o teste de contar e não contar e simplesmente desaparecer……foi terrível! a Chiara chorava direto e ficou muito manhosa!!

3 – Quando estiver viajando…tente ocupar, ao máximo, sua cabeça para não ficar com o pensamento em casa…..pode ter certeza que vai sentir bem menos a distância, afinal os seus filhos estão ótimos, pois se acontecer alguma coisa séria, vc. será a primeira a saber.

4 – Não suma da vida do seu filho durante a viagem…. a criança acalma quando tem algum contato por telefone ou pelo skipe (melhor ainda).

5 – Quando voltar, é importante contar como foi legal a sua viagem, pois seu filho não pode associar com algo negativo..ele tem que gostar de ouvir as suas “aventuras” quando estava longe dele (não sei se é certo ou errado, mas lá em casa sempre rola um presentinho de viagem, coisa simples).

Bom, espero ter ajudado um pouquinho com estas dicas, mas quero saber….e vocês? Qual é a estratégia da família???? Quais foram as experiências de vocês?

Um beijão e até mais….

Com vocês….8 meses de Benício!!!

 Oi pessoal,

Hoje é um dia importante, pois há 8 meses atrás nascia uma “pessoinha” muito especial para integrar a nossa família: o Benício.

Para quem não sabe, escolhemos este nome porque significa “HOMEM DE BEM”, que está sempre bem…que faz o bem!!!!

Então, para curtirmos a retrospectiva dele nestes 8 meses de vida, seguem algumas fotos que queremos compartilhar com vocês.

Um beijo e até mais!!!

Ahhh…e para vc., Benício, segue um recadinho do seu pai, já que ele está viajando:

“Hoje o Papai não está do seu ladinho, mas encontrar fotos e relembrar momentos que vc ja proporcionou a nós…..chega doer de tanto amor….vc é o homem da minha vida! te amo! bjs Papai”

 

Terminando a licença maternidade? E agora voltar a trabalhar ou ficar em casa?

Oi gente!!!

Que tema polêmico escolhi, hein???

Como este período é difícil! A mulher repensa todos os seus valores: o que realmente importa para vida???? E acredito que se pudesse escolher, escolheria ficar pelo menos os 2 primeiros anos em casa com seu filho e depois tomaria a decisão definitiva do que fazer.

Mas, como muitas vezes não temos escolhas… a volta ao trabalho é inevitável e então precisamos tentar lidar com este assunto da maneira mais tranquila possível. O que posso falar para vocês é que a gente se acostuma…os primeiros dias são terríveis, vc. tem vontade de fugir, voltar para casa, chora, tem aperto no coração, mas tudo isto passa! E com o passar do tempo se acostuma. O que ainda me dói é não ver todas as evoluções dos meus filhos…sabem aqueles livrinhos que você escreve “quem foi a pessoa que viu primeiro ele sentar? primeiro sorriso? primeiro dente?…” os que eu tenho sempre está escrito o nome da moça que cuida dos meus filhos desde que eles nasceram, mas fazer o quê? Ainda bem que tive a oportunidade de ter uma pessoa de confiança ao meu lado que ama meus filhos e dá todo o carinho que eles necessitam.. afinal, sempre precisamos olhar do lado positivo das coisas…hehehehe

O que aconselho é que a volta ao trabalho não seja de uma vez! Comece a ir pequenos períodos do dia, depois meio período, com o passar do tempo aumente as horas.

Stressar logo no começo não dá…senão seu leite vai embora em segundos! Manter a calma é essencial.

Priorize os horários: agora você tem alguém esperando por você todos os dias. Não dá mais para ficar até mais tarde para  adiantar as tarefas profissionais.

Quando chegar em casa: esqueça de tudo…dê atenção ao seu filho…ele precisa do seu carinho. Temos que priorizar a qualidade e não mais a quantidade!!!

O coração anda apertado? Desabafa! Conversar com pessoas que já passaram por isso ajuda muito!

E o mais importante: se vc. vai deixar seu filho na escola, com a babá, ou na casa da avó…vc. tem que estar tranquila…porque trabalhar preocupada não dá certo! Você não faz nem uma coisa, nem outra. Segue o link de um post que o Juninho fez sobre a escolha entre escolinha e babá http://viverbembom.com.br/escolher-entre-creche-e-baba/

Agora, conheço pessoas que voltaram a trabalhar e não conseguiram e hoje mudaram o seu estilo de vida: trabalham em casa e ficam com seus filhos, outras simplesmente resolveram se dedicar à vida de mãe, e ainda há o grupo que não vive sem a sua vida profissional.

Todas as decisões são válidas e o mais importante é a gente esteja feliz! Lógico, que tudo na vida tem os prós e contras e precisamos lidar com isso. Eu sempre brinco que quando a mulher vira mãe, deveria ter uma lei que determinava que nós só poderíamos trabalhar meio período, porque o outro meio período o nosso trabalho seria ficar com os nossos filhos. Para mim, este é o ideal. E para você? Deixe seu depoimento e conte como foi sua volta ao trabalho!!!!

 

E para registrar um pouco do meu tempo com meus filhos, segue uma foto do nosso final de semana que foi uma delícia!!! Um beijo e até mais…

 

 

Mamães e Negócios – Thaiane Caetano explicando TUDO sobre o Sling

Oi gente, vocês sabem o que é o Sling?

O Sling  é uma faixa de tecido que serve para carregar o bebê.
Dizem que traz muitos benefícios, tanto para o bebê como para a mamãe. Mas vou deixar esse assunto para a nossa amiga, Thaiane Caetano, que além de saber tudo sobre Sling, produz também. Eu já encomendei o meu…. confiram!

Vida real: o por quê do meu sumiço

Gente,

Estou escrevendo aqui hoje para pedir desculpas aos meus leitores, pois faz quase uma semana que não coloco nada no ar!!!! Mas isto, vai passar e voltarei a ser a velha Mamãe Viver BemBom de sempre…
É que todos na família estão doentes, inclusive eu… Com infecção de garganta, febre, tomando antibiótico e assim por diante, então vcs. imaginam… se eu já não dormia, imagina agora!!! O corpo não está mais respondendo.
Bom, mas isto é VIDA DE MÃE!!!
Espero q vocês entendam…mas eu precisava dar um satisfação… Depois vou contar toda esta minha experiência com dicas para vcs!!! Um beijão e até mais…