Dia dos namorados em família… é possível?

Oi gente!

Bom, amanhã será o Dia dos Namorados e, devemos estar na mesma situação que muitos casais que possuem filhos: sem opção de sair apenas os dois para um jantar romântico ou algo parecido….hehehehe

O que fazer então? Deixar a data de lado? Nem pensar! Apesar de ser uma comemoração totalmente comercial, acredito que devemos entrar na brincadeira e aproveitar, mesmo sendo em família!

Todos vocês sabem que gostamos muito de presentes feitos por nós, presentes com fotos para guardar recordações do momento vivido, (clique AQUI para ler assuntos relacionados a este assunto) e gostamos de curtir juntos!

Acredito também que Dia dos Namorados é uma data pontual e que sempre devemos relembrar o AMOR, não só em uma data específica, mas no dia-a-dia, esta é a grande sacada para uma boa saúde de um relacionamento… Gosto muito de surpresas fora de hora, presentes sem motivos, mensagens inesperadas… Isto é uma delícia!

Mas, afinal de contas, o que vamos fazer para comemorar o Dia Dos Namorados em família?

Dia dos namorados em família!

Dia dos namorados em família!

Lá em casa, utilizamos muito a palavra AMORES…. Por exemplo, se eu e o Juninho damos um beijo na frente da Chiara, ela diz: Mãe, é beijo de amores??? Ou, se ela vê na tv um beijo… é filme de amores??? É muito engraçado!! Então, como ela sabe que amanhã é dia dos namorados, porque ouviu na mídia ( impossível não ouvir, só se fala disso…), vamos tentar mostrar que é uma data para celebrarmos o Amor!

Como neste dia não dá para sair… tudo é lotado! Vou fazer um JANTAR DE AMORES em casa temático… acho que um foundue… à luz de velas e com corações de papel feitos por nós….

Além disso, faremos  uma brincadeira para que ela ajude eu e o pai a desenhar um CARTÃO de AMORES para um dar para o outro…

Alugaremos  um filme infantil que seja de AMORES… Ainda não sei qual, mas  há vários bonitinhos como o “Gnomeu e Julieta”! É uma graça! Vocês têm mais alguma sugestão?

E…. depois que as crianças dormirem, pensamos em uma programação a dois! Bela ideia, né?!

Feliz dia dos namorados em família! Compartilhem conosco o que vocês organizaram para esta data… Um grande beijo e até mais!

Dicas para não começar a semana “de cabeça para baixo”

Oi pessoal! Tudo bem?
Bom, resolvi escrever este post porque sempre tenho a impressão que tudo está desarrumado, que sempre estou atrasada, sempre estou correndo… vocês possuem a mesma sensação?????
Pensando nisso, implantei algumas estratégicas básicas no meu dia-a-dia que nem sempre consigo cumprir porque bate aquela preguiça, mas quando dá certo tenho a certeza que preciso colocar mais vezes em prática.

Ah, antes de contar quais são as dicas, quero deixar claro que todas são adaptadas a cada dia, afinal quem tem filhos nada é eterno… eles conseguem mudar o tempo todo o nossa rotina!!! hehehehe….

Vamos lá:

1- Acordar todos os dias 20 minutos mais cedo, faz a diferença! Podem acreditar… Você se arruma com mais tranqüilidade, consegue sentar para tomar café, dá para respirar. Agora, isto só acontece se seus filhos não inventam acordar mais cedo também.Pensando pelo lado positivo, se acordarem ainda estamos 20 minutos na frente.

2- Arrume tudo no dia anterior: há dias que estou naquela preguiça, afinal de contas, não funciono à noite… mas tento me esforçar para deixar roupas separadas, uniformes, mochilas da escola arrumadas, mamadeiras lavadas… no outro dia de manhã, este esforço valerá a pena!

IMG_1235

IMG_1234

3 – Brinquedos – não sei na casa de vocês, mas na minha em 5 minutos em que as crianças estão em casa, parece que a revolução dos brinquedos aconteceu!!! Sabe aquela cena do Toy Story 3, da creche… tudo bem que eles cuidam dos brinquedos, mas a cena de tudo espalhado é igual!!! Ainda não consegui fazer com que arrumem  antes de irem dormir (agora que a Chiara está começando a arrumar do jeito dela, ou seja, aquele arrumado todo amontoado hehehehe), mas estando ajeitado ou não, tentamos deixar tudo ok antes de irmos para a cama.

download

4- Roupas, sapatos, acessórios espalhados pela casa: seria tudo mais fácil se o maridão e as crianças soubessem pegar e devolver no mesmo local, mas como isto não acontece… fico igual louca recolhendo o que está espalhado… juro que qualquer dia vou fazer greve…será que dá certo??? Bom, esta ordem da casa quase sempre fica para o dia seguinte, mas tento me esforçar para arrumar antes.

 

20121227_213521 (1)

Não posso reclamar do meu marido, apesar dele ser superrrrrr desligado e bagunceiro, ele me ajuda muito com as crianças…lá em casa é o esquema de todo mundo tem que se ajudar e tentamos dividir as tarefas..tudo bem que algumas coisas homem fazer não dá certo…hehehehe, mas vamos tentando!!!

 

Com todos estes itens cumpridos, as chances de no outro dia você acordar e se arrumar com mais tranquilidade são maiores, mas não são GARANTIDAS!!!! rsrsrs… isto é vida com filhos!!! Amamos muito tudo isto!!!

E na casa de vocês, acontece tudo igualzinho só muda o endereço? Vc. tem a impressão de sair para trabalhar ou fazer outros afazeres e já estar acabada logo no começo do dia??? Contem para nós quais são as estratégias para otimizar tempo e stress! Podem ajudar muitas famílias…

Um grande bj e até mais!

 

Festa infantil em buffet ou em casa? Qual é a melhor opção?

Oi pessoal!

Faz tempo que queria escrever sobre este tema para vocês, afinal foi na festa de aniversário da Chiara deste ano que obtive a minha primeira experiência em buffet infantil.

20130309_123106

 

Foi muito linda, mas como tudo na vida, há prós e contras. Nem preciso falar que a principal vantagem de se fazer em buffet infantil é que podemos chegar na hora da festa e está tudo pronto! Isto é fantástico! Cansaço zero!

DSC_0131

IMG-20130310-WA0012

Outro ponto positivo são os brinquedos para a criançada, eles se divertem muito! E os buffets estão cada vez mais profissionais neste quesito: até percurso de arvorismo tinha neste que fiz a festa. (Porém, quando fazemos a festa em casa podemos também alugar brinquedos e/ou contratar uma empresa de recreação que também é muito legal)

20130309_144829

20130309_130412

20130309_145340

A tranqüilidade de contratar tudo em um mesmo local, confirmar tudo com uma pessoa só, também é muito positivo. Não precisa ficar ligando para o moço das cadeiras, a moça dos doces, bebidas…. (se bem que agora há empresas que podemos contratar para o local da festa e oferece todos os serviços). Porém, é interessante ligar na semana da festa no buffet para confirmar todos os serviços contratados, é uma garantia para não termos surpresas desagradáveis na hora.

20130309_145657

Encontro das primas de várias “gerações” da Chiara, da vovó Cleide, da tia avó Neide e da tia-bisavó Ivone (que confusão!!!hehehe)

20130309_150020
Outra vantagem é que os buffets são apropriados para festas infantis, ou seja, não fica nada adptado como em casa, que às vezes o salão é pequeno, ou a área não é coberta, ou tira todos os móveis.

20130309_150755

No buffet, literalmente não precisa se preocupar com nada, tudo chega na sua mão com muita tranqüilidade…não precisa se desesperar como em casa: cadê o fósforo? escrever o nome nos presentes??? quem apaga a luz???? hehehehehe quem nunca se preocupou com isto????

IMG-20130310-WA0006

Agora, o maior ponto negativo do buffet é a impessoalidade, ou seja, nada foi feito por vc, quase um delivery: agora sai uma festa das princesas, a noite dos carros, amanhã da barbie… e assim por diante! tudo igual para todos! De verdade, não me agrada nem um pouco… gosto de colocar a mão na massa e preparar a festa pensando qual é a decoração que mais tem a ver com meus filhos, a lembrança, gosto de personalizar!

20130309_122514

Apesar de ter a lembrança do buffet, eu criei a lembrancinha personalizada, que foi um imã de geladeira, que já é tradicional na nossa família (fazemos coleção!!!hehehehe). Disto eu não abri mão!!!

Chiara aniversário 4 anos certo

Outro ponto negativo é o preço, sai bem mais caro do que uma festa organizada por vc. Mas se vc. quer ter tranquilidade, vale a pena, pois hoje os buffets dividem em várias vezes o valor da festa, ou seja, mal terminou de pagar uma, já começa a pagar do outro ano….Acho que vou abrir um “consórcio” para festas infantis!!! heheheh o que acham???? brincadeira…

Na verdade, a festa vai se adequar a realidade dos pais: disponibilidade, o quanto quer gastar, estilo de vida, no momento de vida que a família está enfrentando… mas, o que vocês devem estar se perguntando agora??? Tudo bem Camila, você escreveu, escreveu, escreveu…mas o que vc. faria hoje se tivesse um outro filho?

1 – Se não ligasse para o “encontro da família e amigos” (pois são nestes momentos que conseguimos reunir todos), eu não daria festas, todos os anos comemoraria com uma viagem super especial!!!

2 – Porém, acredito que na época em que todos os amigos começam a dar festas, o meu novo filho iria solicitar algo neste quesito, ou seja, se não me importasse com o encontro familiar, faria uma tarde especial do meu novo filho com os amigos apenas.

3 – Hand made ou buffet? Depende da correria da minha vida: não adianta nada fazer tudo personlizado, feito por você e no dia da festa não aproveitar, porque está caindo de sono e de cansaço. Hoje, optarei por buffet ou alguma empresa que me traga tudo! Apesar de não me satisfazer como mãe com isto! Mas fazer o quê…querer não é poder!!!

4 – Sonho de consumo: atingir o “menos é mais”, ou seja, gostaria que a festa não fosse vinculada a presentes e sim, ao prazer de estar ao lado das pessoas e viver o momento! Uma festa ideal para mim seria cada convidado trazer um prato de comida e o aniversariante daria o bolo, sem decoração, mas uma programação de atividades com o envolvimento das pessoas, viver o momento… um almoço de domingo na casa da avó, por exemplo!!!!hehehehehe Mas como explicar para o aniversariante que não irá ganhar presentes??? a nossa família ainda não conseguiu chegar nesta EVOLUÇÃO..quem sabe um dia! Alguém já vive este exemplo de festa ou algo parecido???

 

“Filosofei” demais…hehehe um beijão e enviem comentários!!! Até mais..

 

 

 

Estamos de volta e de vida nova! Como estamos lidando com as crianças perante todas estas mudanças…

Oi gente! Que saudades….
Parece uma eternidade que não escrevo, mas apenas passaram-se 20 dias, afinal a família Viver Bem Bom estava tentando colocar a vida em ordem!
Bom, vou contar aqui para vocês um pouco das nossas férias no litoral catarinense, dar dicas de passeios, o que não é legal fazer com as  crianças quando estamos viajando….mas isto é assunto para outro post.
HOJE, quero falar sobre todas estas mudanças, como a Chiara, principalmente, está  lidando…
Para quem ainda não sabe, mudamos de cidade (motivo: trabalho), decidimos em 20 dias, agora estamos em Santos. Com isto, vieram várias questões que não tínhamos pensado: além da mudança de escola, óbvio… muda pediatra, dentista, amigos, rotina, aprender a viver em apartamento, perder medo da casa nova…. Como fica a cabeça da criança???
Deixamos em Ribeirão Preto muitas pessoas amigas e que tínhamos um certo “conforto”, pois realmente faziam parte da nossa vida, por exemplo, o pediatra da Chiara a viu  nascer! Sabe tudo dela…os dois se amam de paixão…. o que quero dizer é que não tiramos dela só os amigos, tiramos toda referência de vida!!!!
Bom, como estamos??? As aulas ainda não começaram para falar da adaptação a escola, mas a questão de ser praia está ajudando muito, pois se temos um tempinho a levamos para brincar, ainda bem q o apartamento é mais antigo e grande, acredito que o vizinho de baixo não escuta muita coisa, pois viver em apto ainda ela não aprendeu… deixa cair brinquedo, anda de bicicleta, pula adoidado hehehehehe….
O Juninho já era neurótico na casa em RP  em relação as redes de proteção, imagina agora….as crianças não entraram no apto enquanto as redes não estavam instaladas! Concordo plenamente, acidente acontece em segundos!
A gente não pensa em detalhes, mas até o elevador tivemos que explicar tintim por tintim todos os cuidados, não estava acostumada pegar elevador….ela abria a porta de casa e ia brincar na rua ou na casa dos amigos, sem medo!
A Chiara ainda está sem amigos para brincar, isto é que está difícil, pois sempre fala que está com saudades dos de RP (sempre liga para um no faz de conta…contando sobre o seu dia) e sem amigos ela fica muito grudada na gente, só que nem sempre conseguimos estar brincando… quando estamos em casa,  a prioridade é a brincadeira, mas temos que fazer comida, lavar roupa, arrumar a casa, temos o  Benício que está em uma fase difícil que só quer  andar, mas não anda ainda….só cai e dá susto (não dá para largar um segundo) e ela também quer e precisa de atenção total! Percebo que está carente, está fazendo algumas birras que não fazia antes, o comportamento está alterado. O que está nos ajudando muito é que a moça que trabalhava comigo em RP está passando o mês de janeiro conosco, então enquanto uma está arrumando a casa, a outra está com as crianças e quando eu saio ela só cuida das crianças sem piscar!
Em resumo, quero muito que as aulas comecem para a Chiara brincar com crianças e fazer novas amizades. Aí acredito que tudo vai melhorar e ela vai se sentir mais parte de  Santos!
A notícia boa é que já mudei muito de cidade e sei que é difícil, mas tudo dá certo e acostumamos com a nossa nova vida brevemente… estes dias o Juninho estava em depressão que não tinha amigos, que não conhecia ninguém… hehehehehe tirei sarro, mas ele entrou numa “fobia” por causa disso, realmente precisamos respeitar o momento e o tempo de cada um!
E eu? Estou feliz! Às vezes bate uma insegurança de preocupação com o nosso futuro, mas aprendi a me adaptar rapidamente, CONFIO EM DEUS e sei que tudo vai dar certo.
E vcs., já passaram ou estão passando por isso? Será que estou lidando da melhor forma com a Chiara? Deixem seus comentários…um grande beijo a todos, estava com saudades!

Vejam algumas fotos de passeios que já fizemos em Santos.

image

image

image

Como é difícil dizer ADEUS…

Oi gente!

Estamos sumidos, né? Bom, peço desculpas, mas isto foi inevitável… Mudamos de cidade, fomos morar em Santos, e além de toda correria, nós ficamos sem internet até no celular, ou seja, o CAOS!

Porém, durante todo este processo de mudança, passei e ainda estou passando por um TURBILHÃO de sentimentos, e no meio disso tudo, resolvi escrever sobre o ADEUS….espero que gostem!

Como é difícil dizer Adeus, mesmo sabendo que chegou a hora…

É uma explosão de sentimentos: ao mesmo tempo vc está feliz, triste, deprimido, eufórico, seguro, muito inseguro…ou seja, os dois opostos nos acompanham a todo momento.

Parece o dia do casamento que você está radiante, mas ao mesmo tempo não quer dizer adeus a casa dos seus pais, ao seu quarto, sua cama de tantos anos…mas sabe que isto é inevitável…e apesar deste aperto no peito, você sabe que vai passar, afinal esta confusão que está dentro de você tem apenas um nome: MUDANÇA! Quando acontece uma mudança na sua vida, você não consegue controlar nada nem ninguém, simplesmente vai acontecer!

O que me acalma é que sei que com tudo na vida a gente se acostuma, tudo dá-se um jeito. Se somos criança, este processo é mais fácil, não temos nenhuma responsabilidade, não há culpas. Mas quando já somos adultos e com filhos, o famoso “e se…” não sai da sua cabeça! Tudo vai dar certo, pois se não acreditasse nisso, não existiria a mudança. E hoje esta etapa é necessária para um crescimento individual e familiar.

Entretanto….
Como é difícil se desligar das coisas que planejou e fez com tanto carinho,
Como é difícil dizer adeus aos seus planos, metricamente traçados,
Como é difícil dizer adeus as pessoas que ama e até aquelas pessoas que você tem um desafeto,
Como é difícil deixar a sua rotina, os seus trajetos do dia a dia, os lugares que está acostumado a freqüentar,
Mas o mais difícil é ver seus filhos darem adeus aos seus amigos, ao seu lar, a sua escola, a sua pequena rotina formada! Isto dói muito!

Nestes momentos é até difícil de lembrar das coisas ruins que passamos, que bom que só guardamos na memória os bons momentos para serem sempre lembrados, os ruins damos um jeito de virarem piadas!

Pensando nisso tudo, para quê precisamos dizer adeus?

Será que com um ATÉ BREVE sofremos menos?

Não custa tentar: RIBEIRÃO PRETO…. até breve! Obrigada por tudo!

Bjs a todos….

Vocês se sentem culpadas quando saem para trabalhar e deixam seus filhos?

Oi gente!

Este post estou fazendo para a Campanha CULPA NÃO da revista Pais & Filhos.

Todos os meses eles debatem  um assunto polêmico da maternidade que de alguma maneira nos trazem o sentimento de culpa, segue o link do facebook: https://www.facebook.com/#!/culpanao?fref=ts.

No mês de outubro é sobre a culpa que sentimos ao deixarmos nossos filhos para irmos trabalhar…e eu me identifiquei muito com este tema, afinal tenho aquela vida louca como a maioria das mães de hoje: trabalha, leva filho para a escola, dá comida, faz tarefa, arruma mala da escola, casa, marido….

Já me questionei várias vezes, o quanto valia a pena todo este esforço para uma “estabilidade financeira” e por outro lado não acompanhar o crescimento dos meus filhos…será que eles precisam ter tanto “conforto”? Isto vale a pena ficar longe da mãe? Será que crescerão crianças carentes? Um turbilhão de pensamentos e culpas vão surgindo ao mesmo tempo e, cada vez mais, nos cobramos para sermos uma MÃE melhor!

Também fico pensando: e quando eles crescerem….se eu parar de trabalhar…vou ser aquela mãe que só cuida da vida dos filhos? Vou me sentir inútil? E quando saírem de casa?…..ai meu Deus, vou me “jogar pela janela” hehehehehe.

Para quem me conhece, sabe que o ideal para mim seria trabalhar meio período, é o meu sonho de consumo… não seria nem 100% profissional, nem 100% mãe… o que falta é coragem para tomar esta decisão, afinal para tudo na vida dá-se um jeito…mas aí surge um outro sentimento de culpa…se trabalhar menos, vou ganhar menos, então  meus filhos vão ter que mudar de escola, não poderemos almoçar fora com frequência, nem dar aquele brinquedo que eles tanto querem….afffffff, confundimos tudo!!! Queremos dar amor em excesso, queremos estar ao lado dos nossos filhos em tempo integral, mas também queremos que eles tenham uma vida de reis e rainhas!!! Nem tudo na vida é possível…na verdade, este assunto é quase filosófico… a discussão nunca acaba, sempre há um porém, contudo, entretanto!

Admiro amigas que deixaram tudo para se dedicar ao filho e hoje se reinventaram para terem uma vida financeira estabilizada, mas também admiro as minhas amigas super profissionais que lidam com tranquilidade esta questão  e quando estão com os filhos, aproveitam cada segundo!!! E hoje é que estou colocando em prática (pelo menos tentando), se tenho três horas por dia para ficar com os meus filhos…tenho que transformá-las nas melhores horas do dia deles. Afinal, se eles são a nossa razão de viver, eles têm que saber e sentir que isto é a mais pura verdade….eles têm que saber  que depois que viramos mães, não tomamos nenhuma decisão sem pensar neles…e se estamos pendentes com tempo disponível, precisamos priorizar a qualidade! Precisamos apertar o botão de OFF e estar somente com eles de corpo e alma!

Bom, fácil falar, difícil executar, pois a culpa  está sempre nos assustando!!!

O importante é estarmos felizes, estarmos em busca da felicidade plena! E a culpa não combina com este sentimento, portanto meninas….CULPA NÃO!!! Será que conseguimos???

E vocês….como lidam com este sentimento?

bjs a todas…

 

 

 

 

Fazer uma casinha de bonecas ou de brinquedos para seus filhos é uma boa opção?

Oi gente,

Tudo bem?

Esta ano, juntei e útil com o agradável, e acredito que realizei um sonho meu de menina (sabe aquelas mães que usam os filhos para conquistar o que não conseguiu na infância?!?!?! Apresento a louca EU!!!! hehehehe), mas falando sério…. devido à vários fatores que explico no vídeo, resolvemos construir uma casa de bonecas para a Chiara e que futuramente..será uma casa de brinquedos para o Benício.

No vídeo, explicamos como surgiu a ideia, porque escolhemos alvenaria, como trabalhamos de uma maneira pedagógica com a Chiara, o que foi bom ou ruim….confiram!!!

OBS: No vídeo acabei esquecendo de falar sobre o detalhe de insetos, bichos..nós detetizamos a casinha, então nunca achamos nada..mas orientamos a Chiara e seus amigos para ficarem sempre atentos!!!

Beijão e até mais!

 

O que fazer com os nossos corações quando precisamos viajar sem os filhos???

Meninas….

Vocês já passaram por isto? Eu já….nada agradável!aff…

Na verdade, resolvi escrever sobre este assunto porque semana passada acompanhei o drama de uma amiga nossa blogueira, a Denise Freitas, do blog Mamy de Primeira. Confiram a história dela no blog…

Com o Benício  ainda não precisei viajar, mas com a Chiara aconteceu logo no meu retorno, quando ela tinha 6 meses. Fiquei dois dias fora de casa e o que me salvou foi que trabalhei tanto, mas tanto….que me deparei com a saudade mais na hora de dormir….aí que percebi que não poderia sentir aquele cheirinho gostoso ao meu lado na cama!

Quando cheguei em casa, abracei tanto, beijei tanto…que quase sufoquei a menina!! A partir disso, organizei as minhas viagens para que fossem realizadas em, no máximo, 3 dias, pois mais que isto eu já estaria me jogando do décimo andar…heheheheh

Não sei se vocês têm a mesma opinião que a minha, mas conforme o seu filho vai crescendo ….fica pior, pois quando ele é bebê, ele sente a sua falta, mas não entende o que está acontecendo…mas quando ele começa a falar…..sai de baixo!!! Vc. quer passar por dentro do telefone ou pela tela do skype para poder estar com ele!!! O coração chora quando ele diz: mamãe estou com saudades…quando você vai voltar? Tem que trabalhar muito ainda???

Nestas horas é difícil dar dicas e opiniões, mas seguem algumas “estratégias” que adotamos em casa:

1 – Tente não ficar sofrendo antes da viagem…isto só vai piorar para vc…. fica aquela angústia e vc. não consegue aproveitar os momentos antes da viagem com seus filhos.

2 – Se seu filho já entende a situação, por mais que ele vá sofrer, conte que vai viajar e quanto tempo vai ficar fora…pois já fizemos o teste de contar e não contar e simplesmente desaparecer……foi terrível! a Chiara chorava direto e ficou muito manhosa!!

3 – Quando estiver viajando…tente ocupar, ao máximo, sua cabeça para não ficar com o pensamento em casa…..pode ter certeza que vai sentir bem menos a distância, afinal os seus filhos estão ótimos, pois se acontecer alguma coisa séria, vc. será a primeira a saber.

4 – Não suma da vida do seu filho durante a viagem…. a criança acalma quando tem algum contato por telefone ou pelo skipe (melhor ainda).

5 – Quando voltar, é importante contar como foi legal a sua viagem, pois seu filho não pode associar com algo negativo..ele tem que gostar de ouvir as suas “aventuras” quando estava longe dele (não sei se é certo ou errado, mas lá em casa sempre rola um presentinho de viagem, coisa simples).

Bom, espero ter ajudado um pouquinho com estas dicas, mas quero saber….e vocês? Qual é a estratégia da família???? Quais foram as experiências de vocês?

Um beijão e até mais….

Terminando a licença maternidade? E agora voltar a trabalhar ou ficar em casa?

Oi gente!!!

Que tema polêmico escolhi, hein???

Como este período é difícil! A mulher repensa todos os seus valores: o que realmente importa para vida???? E acredito que se pudesse escolher, escolheria ficar pelo menos os 2 primeiros anos em casa com seu filho e depois tomaria a decisão definitiva do que fazer.

Mas, como muitas vezes não temos escolhas… a volta ao trabalho é inevitável e então precisamos tentar lidar com este assunto da maneira mais tranquila possível. O que posso falar para vocês é que a gente se acostuma…os primeiros dias são terríveis, vc. tem vontade de fugir, voltar para casa, chora, tem aperto no coração, mas tudo isto passa! E com o passar do tempo se acostuma. O que ainda me dói é não ver todas as evoluções dos meus filhos…sabem aqueles livrinhos que você escreve “quem foi a pessoa que viu primeiro ele sentar? primeiro sorriso? primeiro dente?…” os que eu tenho sempre está escrito o nome da moça que cuida dos meus filhos desde que eles nasceram, mas fazer o quê? Ainda bem que tive a oportunidade de ter uma pessoa de confiança ao meu lado que ama meus filhos e dá todo o carinho que eles necessitam.. afinal, sempre precisamos olhar do lado positivo das coisas…hehehehe

O que aconselho é que a volta ao trabalho não seja de uma vez! Comece a ir pequenos períodos do dia, depois meio período, com o passar do tempo aumente as horas.

Stressar logo no começo não dá…senão seu leite vai embora em segundos! Manter a calma é essencial.

Priorize os horários: agora você tem alguém esperando por você todos os dias. Não dá mais para ficar até mais tarde para  adiantar as tarefas profissionais.

Quando chegar em casa: esqueça de tudo…dê atenção ao seu filho…ele precisa do seu carinho. Temos que priorizar a qualidade e não mais a quantidade!!!

O coração anda apertado? Desabafa! Conversar com pessoas que já passaram por isso ajuda muito!

E o mais importante: se vc. vai deixar seu filho na escola, com a babá, ou na casa da avó…vc. tem que estar tranquila…porque trabalhar preocupada não dá certo! Você não faz nem uma coisa, nem outra. Segue o link de um post que o Juninho fez sobre a escolha entre escolinha e babá http://viverbembom.com.br/escolher-entre-creche-e-baba/

Agora, conheço pessoas que voltaram a trabalhar e não conseguiram e hoje mudaram o seu estilo de vida: trabalham em casa e ficam com seus filhos, outras simplesmente resolveram se dedicar à vida de mãe, e ainda há o grupo que não vive sem a sua vida profissional.

Todas as decisões são válidas e o mais importante é a gente esteja feliz! Lógico, que tudo na vida tem os prós e contras e precisamos lidar com isso. Eu sempre brinco que quando a mulher vira mãe, deveria ter uma lei que determinava que nós só poderíamos trabalhar meio período, porque o outro meio período o nosso trabalho seria ficar com os nossos filhos. Para mim, este é o ideal. E para você? Deixe seu depoimento e conte como foi sua volta ao trabalho!!!!

 

E para registrar um pouco do meu tempo com meus filhos, segue uma foto do nosso final de semana que foi uma delícia!!! Um beijo e até mais…

 

 

Gel Refrescante para Picadas de Mosquitos

Olá pessoal, esta semana no nosso grupo do face Gravidinhas e Mãezinhas, uma integrante estava desesperada porque a filha dela estava cheia de picadas de pernilongo.
Nós indicamos para o grupo o gel refrescante da Herbalife,  mas também lembramos deste outro produto, um anti-alérgico cicatrizante, chamado Alívio-Sting.

Compramos em uma loja especializada em produtos para alérgicos, aqui em Ribeirão Preto.

Segue o site da loja: http://www.casadoalergicorp.com.br/

Este produto foi excelente também. É caro, mas dura muito tempo, pois a quantidade usada por aplicação é mínima. A Chiara estava cheia de picadas e coçando muito, passamos o gelzinho com um pouco de massagem local….perfeito!!!  Uma ou duas vezes ao dia já ajuda muito. Alivia as coceiras e cicatriza.

Agora que o calor está voltando…fica mais esta sugestão.

 

 Revejam o link  que fizemos do gel Herbalife :