Relação sexual após nascimento dos filhos

Genteeeem, que assunto complicado, né? Como manter a vida de casal com a chegada dos filhos? Afinal, a relação sexual existe???

Esta imagem é ótima!!! Vocês devem me achar louca, mas este é meu sonho de consumo..hehehehe foto: www.gironatela.com

Esta imagem é ótima!!! Vocês devem me achar louca, mas este é meu sonho de consumo..hehehehe / foto: www.gironatela.com

 

As adaptações, os receios, a falta de foco no parceiro… vishhiii quantas indagações???

Tenho que confessar que tinha muito medo das mudanças. Tinha medo de não saber o que ia acontecer… e me aterrorizava com que outros casais com filhos contavam: aquelas brincadeirinhas sem graça e fora de hora que sempre apareciam na conversa – vocês são loucos, filho muda tudo… preparem-se para nunca mais ter tempo para nada…blá blá blá.. afff, desnecessário!

Bom, a Chiara nasceu e, na minha opinião, a partir deste momento (quando nasce o primeiro filho) que você comprova se o amor do casal é mesmo verdadeiro. Sabe, o que o padre diz: na alegria, na tristeza, na saúde, na doença…. E assim por diante! Afinal, principalmente nas primeiras semanas e meses, o casal se anula e vive para o seu mais puro e intenso amor, seu filho.

Isto mesmo.. quando viramos pais e mães, é quando descobrimos o amor incondicional… aí começa um grande  dilema na vida do casal: se eu achava que meu amor incondicional era pelo meu marido e depois descubro que o maior amor que sinto é pelos meus filhos, como fica o amor que sinto pelo meu marido?? Nosssaaaa, que nó na cabeça!!! Apesar do amor de filho e marido serem coisas completamente diferentes, há muitos casos da mãe esquecer do seu lado esposa e ser somente mãe, e isto acontece muuiiiitttooo, mesmo porque nossos hormônios estão lá no pé de tão baixos, a nossa aparência está péssima porque o corpo pós gravidez ninguém marece, sem falar do nosso perfume diário que passa a ser leite estragado!!! Ah… E não posso esquecer da cena de quando as crianças dormem e um olha para outro e diz… Transar ou dormir??? Sem dúvida, escolhemos o dormir….hehehehehe

Agora,uma notícia boa: na vida, tudo se adapta…..e, aos poucos, os casais que são realmente CASAIS DE VERDADE, acostumam-se com a nova vida e encontram novas maneiras de de deixar a “chama acesa da paixão”.  Não será como antes, mas dependendo do casal pode ser muito melhor. O que posso dizer é que o companheirismo tem que falar mais alto e sem desespero, pois aos poucos tudo volta ao normal. Lembrando que cada casal vai encontrar o seu jeito novo de manter uma atração sexual ativa. Lógico que a palavra acomodação não pode estar no nosso vocabulário, precisamos investir no nosso relacionamento, afinal milagres não existem.

Seguem abaixo algumas dicas, nas quais muitas eu sigo, outras não fazem parte da nossa realidade, mas sei que dá certo para outras pessoas:

Apresentação pessoal: só falo uma coisa, como manter uma atração pelo parceiro em alta, se fica com aquelas olheiras enormes, cabelos desarrumados, pijama o dia inteiro… repito: milagre não existe! Precisamos estarmos bem com o nosso “EU” para agradar o outro… estar sempre cuidada, unhas feitas, maquiagem básica, roupas atraentes…

Tudo bem que não somos uma Gisele Bundchen, mas a nossa deusa interior pode se sentir, né? foto: www.vebidoo.de

Tudo bem que não somos uma Gisele Bundchen, mas a nossa deusa interior pode se sentir, né?/  foto: www.vebidoo.de

Carinhos constantes: com o tempo corrido, às vezes esquecemos de tocar a pessoa que juramos amor esterno. Beijos fora de hora, andar de mãos dadas, carinhos na perna enquanto o outro está dirigindo, coisas simples, mas que fazem a diferença para manter o entrosamento do casal em alta. Estimular o toque!

As famosas rapidinhas serão uma constante na vida do casal: se o casal não é adepto a este modelo, podem começar a achar graça neste estilo de sexo… lembrem-se: criatividade é tudo!!! hehehehehe

Um dia na semana, no mês, só para o casal: Uma viagem só os dois de poucos dias, um jantar, um cinema, um passeio… algo que vocês sempre faziam quando não tinham filhos. Esta é uma dica que não pratico muito, para vocês terem noção, nunca mais viajamos  sozinhos sem os filhos nem por um dia. Mas cada casal tem um jeito de lidar, sabemos que hoje, viajar sem eles, não será sinônimo de curtição e sim, ficaremos sentindo-nos culpados e não iremos aproveitar nada, mas quando parentes estão em casa, aproveitamos para dar umas fugidinhas básicas!

E se não der para sair, que tal fazer um jantar romântico em casa? Lógico, que depois que os pimpolhos dormirem, né?

E se não der para sair, que tal fazer um jantar romântico em casa? Lógico, que depois que pimpolhos dormirem, né? foto: www.bolsademulher.com.br

 

Outros estímulos: Como um filme mais picante, ou um livro, bilhetes, mensagens… importante não esquecer de datas românticas como aniversário de casamento, dia dos namorados ou mesmo quando fazemos uma surpresa em datas nada específicas. Não estou falando de presentes, consumismo, estou falando de atitudes que resgatem o casal, a essência do marido e mulher… E esquecer um pouco do papel de mãe e de pai!

Quando comecei a ler esta trilogia, eu tinha vergonha de estar lendo este tipo de livro, mas por trás de tanta "baixaria", há uma linda história de amor. Simplesmente YARRRRR! Só quem leu, sabe que estou falando ehehehehe foto: www.enjoei.com.br

Quando comecei a ler esta trilogia, eu tinha vergonha de estar lendo este tipo de livro, mas por trás de tanta “baixaria”, há uma linda história de amor. Simplesmente YARRRRR! Só quem leu, sabe que estou falando hehehehehe. Se vc. ainda não leu e quer “apimentar” sua relação, super indico!!!     foto: www.enjoei.com.br

Na verdade, a mensagem que quero passar com este post polêmico é mostrar que é possível ter um casamento feliz, uma relação de marido e mulher, mesmo com muito filhos. Lógico que temos saudades do tempo de recém-casados, onde não tínhamos hora para acordar e que tínhamos o controle total  das nossas ações,  mas a palavra é PERMITIR, não sinta-se culpado que um dia você está com vontade de passar o dia inteiro na cama  com o seu companheiro, assistindo filme… Sem horário para nada, enquanto seus filhos estão passando o dia com a avó. O que não podemos fazer é transmitir a responsabilidade de criação dos nossos filhos para  alguém, por exemplo, deixar todos os dias os filhos com a avó porque vamos para a balada todo santo dia! Absurdo, sem cabimento, né?

Equilíbrio é o segredo! Tudo que é extremo, seja para mais ou para menos, não é saudável! Pensem nisto e vamos cada vez mais comemorar os anos que passamos ao lado dos nossos amores eternos!!! Sejam felizes, façam a outra pessoa feliz!

E para terminar… SIIIMMMMMM é possível ter relação sexual após o nascimento dos filhos! 

Qual é a opinião de vocês? Compartilhem conosco!

Um grande bj e até mais!

 

CHEFE DE PAPINHA – Como aprender a fazer e cuidar da alimentação da sua família desde a papinha do bebê!

Oi pessoal!

Tudo bem?

Este post é especial para as mamães que nunca cozinharam e nem imaginam como começar a cozinhar uma papinha. Mas como mudamos tudo por causa dos nossos filhos, os hábitos da família também modificam com a chegada de um baby e vamos ensinar você  a cuidar da alimentação da sua família.

E, mesmo já passando desta fase de papinha, fiquei muito curiosa para conhecer um novo “projeto” de nutrição familiar desenvolvido pela SUPER MÃE, Nathália Donato. Afinal, vocês conhecem a CHEFE DE PAPINHA?

Vários sabores apetitosos de papinhas

Vários sabores apetitosos de papinhas

A alimentação da sua família

Na verdade, tudo começou quando a Nathália teve a estrela do projeto, a Gaby! Ela, como mãe preocupada com a alimentação da sua filhota e também como uma mulher que nunca se alimentou perfeitamente, ficou desesperada quando chegou o momento da introdução alimentar: o que fazer, como fazer, como temperar sem usar sal, afff… Sem falar das etapas de sopinha amassada, pedacinhos de comida…nossa, e a introdução da alimentação saudável na comida da família… Vários e vários “poréns” foram aparecendo na cabeça da Nathália…mas ainda bem, ela passou por cima de todas as dificuldades e hoje, ela tem a “menina do brócolis” em casa! Hehehehehe brincadeirinha, mas a Gaby ama um brócolis e todos os outros alimentos naturais, como verduras, legumes, frutas…. E o mais legal… Não sabe o que é açúcar!

 

Vejam a estrela do Projeto no colo da mãe "a Gaby". Na foto também: Nathália Donato, Adriana Vieira e Euzinha!

Vejam a estrela do Projeto no colo da mãe “a Gaby”. Na foto também: Nathália Donato, Adriana Vieira e Euzinha!

 

Pensando no sucesso que a Nathália obteve com a filha, ela pensou em ajudar outras mães e famílias… Foi atrás de diversos profissionais que pudessem fornecer embasamentos sobre o assunto, tais como: uma nutricionista, uma fonoaudióloga, pediatra…

Mas Camila, fala logo, o que hoje a CHEFE DA PAPINHA faz?

Dentre tantos serviços, o principal projeto é ensinar a outras mães a fazer papinhas saudáveis. Só que além dos atendimentos e workshops, se a pessoa precisar, ela vai até a sua casa para ensiná-lá a fazer na prática, vai ao supermercado para dar dicas de melhores escolhas… Sem falar do atendimento familiar, afinal um dia este bebê começará a comer a comida da família e, aí? Como está a qualidade desta comida? Normalmente,nada saudável, inclusive a nutricionista do projeto, que também chama Nathália, só que o sobrenome é Guedes, afirmou que está assustada com a quantidade de crianças de 5 anos que estão aparecendo em seu consultório com colesterol alto… Absurdo, né?

As duas Nathálias juntas: A criadora do projeto está a esquerda ¨Nathália Donato¨e a nutricionista " Nathália Guedes" está à direita da foto.

As duas Nathálias juntas: A criadora do projeto está à esquerda ¨Nathália Donato¨e a nutricionista ” Nathália Guedes” está à direita da foto.

O mais importante é que todo o serviço prestado conta com o apoio de profissionais de saúde, garantindo que a informação passada seja correta. Além disso, a Chefe de Papinha segue à risca as recomendações da Sociedade Brasileira de Pediatria e da Organização Mundial de Saúde.

Vejam a linda Theodora comendo tudo!!!

Vejam a linda Theodora comendo tudo!!!

Para quem quiser conhecer mais, a Chefe de Papinha realiza no dia 10 de agosto, o seu primeiro WORKSHOP DE PAPINHA, em parceria com a Namaskar Yoga, para ajudar as mães que estão embarcando no universo da introdução alimentar e gostariam de proporcionar uma rotina saudável desde já, combinando amamentação e alimentação.

Neste dia, além da presença da Chefe de Papinha Nathália Donato, teremos a presença da nutricionista Dra. Nathália Guedes. Todos receberão uma apostila no final do curso.

Programa do workshop:

  • O início – Por que só aos seis meses?
  • A  nova  rotina de amamentação e alimentação
  • Como introduzir as frutas
  • A papinha salgada (higienização de alimentos, preparo e congelamento)
  • A consistência ideal para estimular a mastigação
  • O ambiente ideal para a refeição e o comportamento esperado do bebê
  • Métodos alternativos
  • Introdução de  outros líquidos (água e sucos)
  • A importância da alimentação saudável na infância

Seguem abaixo mais informações sobre o workshop. Amei este projeto, espero que gostem também. bjs a todos!!!

Data: 10 de agosto – sábado

Local: Namaskar Yoga

End.: Av Siqueira Campos, 429 sala 11 (canal 4) – SANTOS

Horário: das 10 às 12h30.

Valor: R$ 80,00 (individual ou mãe + bebê) / R$ 100,00 (casal + bebê) ou casal grávido

Reserva de vaga: com Aline, no e-mail aline@namaskaryoga.com.br, ou pelo telefone (13) 3345 2680 após 15h

Saiba mais no blog Chefe de Papinha http://www.chefedepapinha.com

Contatos:
Chefe de Papinha – Nathália – (13) 9177-0131 – ligar das 9h às 20h
chefedepapinha@gmail.com
http://www.chefedepapinha.com
Fanpage no Facebook: https://www.facebook.com/pages/Chefe-de-Papinha/461227473955698

Namaskar Yoga – Aline – (13) 3345 2680 – ligar após 15h
aline@namaskaryoga.com.br
http://www.namaskaryoga.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/Namaskar.Yoga.Brasil

 

 

 

Especial grávidas: quando surge o colostro?

 O post de hoje é dedicado para as gravidinhas de primeira viagem e que talvez já estejam desesperadas com este mito “de quantidade de leite que irão  produzir ou não”.
E este desespero já começa a aparecer quando temos a notícia que antes do leite aparecer, desce um líquido amarelado que os médicos chamam de COLOSTRO.
Como vocês já me conhecem bem, nem preciso falar que na gravidez da minha primeira filha, nem imaginava que isto surgia e muito menos sabia para que servia!!!  Só fiquei sabendo da existência, depois que a Chiara nasceu e que ela veio mamar a primeira vez. Foi neste momento que orientaram-me para não ficar desesperada que o leite só descia para valer depois de uns 5 dias e que esta substância amarelada era muito importante para os primeiros dias do recém-nascido.
COLOSTRO
Colostro armazenado – foto retirada da matéria do site: http://doulalondrina.blogspot.com.br/2012/11/o-que-e-o-colostro-quais-seus.html
Bom, como tudo que sei é por experiência, fui atrás da minha amigona e super profissional, a ginecologista Dra. Flávia Maciel de Aguiar, de Ribeirão Preto, do blog Gravidinhas e Mãezinhas para explicar  como é este processo do surgimento do colostro. Vejam o que ela escreveu:

“O colostro pode começar a ser produzido bem antes do parto, geralmente no último trimestre, ou só ser produzido após o parto. Varia muito de mulher para mulher, inclusive a quantidades que sai de colostro em cada mamada. A apojadura, que é a descida do leite, surge normalmente em 72 horas, mas pode ser antes ou vários dias depois.”

Bom, em poucas palavras, ela disse tudo! Portanto, não fiquem desesperadas se da prima, vizinha, amiga, cunhada….foi diferente do seu tempo!!! Cada um é cada um e digo mais: cada gestação é totalmente diferente da outra, ou seja, nao é porque você teve algo em uma que vai ter na outra, vice-versa. Não há regras inflexíveis.
O importante é relaxar e curtir o momento. E, se por acaso, tiver dificuldades com a amamentação, procure o banco de leite da sua cidade como escrevi AQUI! Elas são umas fofas e fazem questão de ajudar e receber ajuda!
Amamentar é algo divino que não pode ser associado  com sofrimento e sim com realização e satisfação de poder fornecer o melhor alimento ao seu filho! No começo nada é fácil, mas com o tempo específico de cada um, o bebê e a mãe se conhecem melhor e tudo se encaixa!!!
Vejam os benefícios deste líquido mágico:
image

As diferenças de criação do 1º para o 2º filho! Imaginem quem tem o 3º, 4º, 5º….

Hi people!

Hoje, com certeza, as mães que estiverem lendo este post e que possuem mais de um filho irão se matar de rir!!! Além de se identificarem com algumas situações…hehehehe. Vamos lá?

Bom, com o primeiro filho nós temos todas as frescuras do mundo, tanto as necessárias como as completamente desnecessárias… ferve mamadeira a cada uso, lava a chupeta a cada caída, limpa a mão com álcool em gel a cada 2 segundos, tudo que cai no chão não vai para a boca nem pensar, tem medo que engasga, então dá um pedaço minúsculo de pão, tem medo que a criança caia e se machuque, então não deixa a criança fazer nada!Não é isto meninas?

Com a chegada do próximo filho, todas estas “neuroses” vão um pouco por água abaixo! Não é porque não temos mais medo ou não nos preocupamos mais, mas é que já possuímos uma certa experiência que nos deixa mais seguras das situações e atitudes e, o principal, é que é humanamente impossível dar a mesma qualidade de atenção para dois, três, quatro filhos…é impossível comparar quando vc. se dedica integralmente para um  e para vários. Por isso, eu sempre brinco, o BENÍCIO sobrevive sozinho…hehehehe (tadinho…)

Eu comecei a perceber isto logo nos primeiros dias de vida dele, pois bem no dia que ele estava todo lindo para fazer o teste do pezinho, câmeras a postos para fazer toda a assessoria de imprensa deste evento rsrsrs, colocamos os dois no carro (primeira saída em família), um de um lado, o outro do outro e eu no meio, primeira vez do Benício no bebê conforto (que não tem nada de conforto porque o recém-nascido é muito mole, normalmente a gente fica segurando a cabecinha)….tcham tcham tcham…eis que a Chiara passa mal e vomita no mundo!!! Ou seja, todo o trajeto de casa até a maternidade, eu não olhei para a cara do Benício (se a cabeça estava torta, se ele estava respirando, se o sol estava peganda na cara dele… nem imagino o que aconteceu!), eu simplesmente estava toda vomitada, acudindo a Chiara! Chegamos na maternidade…o que aconteceu??? Juninho foi embora com a Chiara para comprar um roupa para ela, eu entrei sozinha para fazer o teste do pezinho com ele…resultado: sem fotos do evento!!! e o pai tb. não presenciou o momento… (isto que só estávamos com duas crianças…)

A partir deste acontecimento, reparei que novamente a nossa vida teria que se adaptar… afinal, muitas vezes temos que nos dividir para atender as necessidades de cada filho. E coisas que fazíamos com naturalidade com um filho, agora foram repensadas: sair com dois filhos, sozinhos é uma aventura a parte, muitas vezes desisto! Dar banho nos dois um por vez, impossível (coloco os dois no banho ao mesmo tempo, loucura total), dormir quando o filho dorme (esquece, um dorme e o outro está a milhão)…. mas o que percebo é que cada vez mais desafiamos os nossos limites, ultrapassamos qualquer obstáculo (antes reclamava que a Chiara acordava um vez por noite, agora ultrapassei este limite e acordo umas 4/5 vezes por noite porque o Benício mama a cada hora…, mãe é isso…sempre além do que imaginamos ser impossível!!!

As preocupações são outras, hoje não tenho medo que ele engasgue com comida, mas tenho medo que ele engasgue com algum brinquedo pequeno da Chiara (mega perigoso), não me preocupo em lavar tudo que cai no chão o tempo todo, mas como ele é muito solto…tenho medo que ele coma algum bicho (já tirei vários da boca dele hehehe)… ou seja, eles são mais independentes, mas também são mais perigosos, pois não têm medo de nada!!! Sem falar que um filho não tem nada a ver com o outro…se a gente se acha a “experiente”, eles acabam com a nossa reputação, pois nada se repete!!! hehehehehe

No começo me sentia culpada, por não poder dar atenção a ele do jeito que gostaria, da mesma forma que me dediquei 100% a Chiara, mas percebi que estava sofrendo à toa, que ele já chegou ao mundo inserido na nossa família deste jeito, a Chiara que deveria sentir a divisão também curti demais estar com o irmão e muitas vezes ajuda a cuidar….ela grita: mãe o Benício está indo para a escada….hehehehe guardiã!!!! Então, precisamos nos adequar da melhor forma e SER FELIZ!!! E quando junta a Marina à trupe, aí que a família “firifinfim” está formada… não sei se teremos mais, mas se tivermos contarei a BAGUNÇA aqui paras vocês!!!!

O importante é não sentir culpa e saber que estamos SEMPRE fazendo o MELHOR que podemos. E com vocês aconteceu da mesma forma? Contem aqui, vou adorar saber… bjão a todos e até mais!

Segue mais uma matéria sobre a vida com mais filhos. Clique AQUI, para conferir o post sobre dicas para amenizarmos o ciúme quando a mãe engravida novamente.
image

 

Fraldas de pano modernas: vocês sabem como funcionam?

Gente, tudo bem?

Este item sempre foi algo que nunca cogitei utilizar dentro de casa com as crianças, mas depois desta entrevista com a nossa amiga Thaiane Caetano, fiquei muito curiosa para saber se sou capaz de usar e também porque fiquei preocupada com o meio ambiente, afinal vocês  irão ver quanto tempo leva para uma fralda descartável se decompor…é assustador!!!

No vídeo, eu assumo o compromisso que vou testar…Thai…preciso de uma fralda de pano para cumprir o prometido, hein?????

Amei este bate-papo cheio de informações valiosissímas: falamos sobre como lavar, preço, modelos, tecidos, como usar…. Obrigada amiga!!!

E vocês são adeptas? Pensaram nesta possibilidade? Ou são do grupo nem pensar como eu era?

Confiram….bjs e até mais!

Cadeiras de alimentação do bebê: qual é o melhor modelo???

Oi meninas!

Depois de muita pesquisa e avaliação consegui ter uma noção dos tipos que existem hoje no mercado….antigamente só existia aquele bom e velho cadeirão, sem muita frescura, sem super estofado….mas hoje descobri que até existe cadeirão que balança o neném para fazer ele dormir ou brincar!!!

Bom, no meio da minha pesquisa na internet, tive que parar e levar o Benício para experimentar os cadeirões numa loja, porque pelas fotos pareciam ser todos iguais, apesar de terem especificações diferentes. Olhem a foto da nossa aventura!!!! #mãelouca…hehehehehe

Sem falar que fora os cadeirões, existem hoje várias opções: como o booster  (que é aquela  que prende na cadeira, tem a cadeirinha que acopla na mesa (que é a que uso em casa), o Bumbo ( que é uma cadeira no chão)…..entre outras.

Vou falar de cada uma delas, mas o fator principal para a escolha da cadeira é, primeiramente, a segurança, e depois devemos avaliar a praticidade para a familia, tanto de espaço, como de limpeza e de adequação aos hábitos familiares.

Quando decidi por comprar a cadeira que acopla na mesa, optei porque não tinha espaço para ter um cadeirao dentro do apartamento que morava…ia ocupar muito espaço. Então, repito sempre: não existe o certo ou o errado, existe o que melhor atende cada família!!!

Bom, vamos lá….

Antes de começar a explicar um a um, é válido relatar que na hora da compra é importante estarem atentos ao peso que cada cadeira suporta, normalmente é entre 15kg a 22 kg.

Cadeirões: de R$ 120,00 até R$1.000,00

(fiquei assustada quando vi esta disparidade de preço, mas depois entendi…)

1 – Cadeirão da nossa época – hehehehe…este é o mais simples que existe e também o menor deles! Tem a trava na bandeja, mas não reclina, não abaixa, o cinto só prende na cintura…é da marca Burigotto, custa R$ 129,00 (aproximadamente)

2 – Cadeirão um pouco maior, mais confortável no assento e possui cinto de cinco pontos (mais seguro)! Mas ele ainda não faz nada, é travado! Também é da marca Burigotto – Siena, custa R$ 199,00 aproximadamente.

3 – Este já inclina o assento em 4 posições e a base dele é mais grossa, me passou mais segurança, pareceu ser mais resistente. Peg Pérego Merenda – R$ 259,00

4- Marca Galzerano – não gostei porque levanta a bandeja, até a vendedora falou que a sobrinha dela fica levantando a bandeja toda hora e batendo. R$ 140,00 em média

5 – Como sou tudo ou nada…se eu tivesse que escolher um cadeirão, escolheria este…ele “vestiu” o Benício…super confortável…reclina o assento em 3 etapas, adapta a altura (se vc. for dar comida sentada, ele fica na sua altura), assento removível para limpeza, cinto 5 pontos. Amei… da Peg Pérego Prima Pappa Original – R$ 449,00 (me deu vontade de comprar). Existem outras variações deste mesmo modelo um pouquinho mais caro…apenas detalhes!

6 – Agora vamos começar com cadeirões multiuso, sonhos de consumo. Este é o Siesta da Peg Pérego, o preço dele varia de R$ 599,00 a R$ 799,00. Ele seve como cadeira de descanso para bebês antes de 6 meses e depois tem a função também para refeição. Ele inclina, abaixa, cinto cinco pontos, mas o melhor dele é o estofado: é escuro e tem uma textura diferente, não é couro, mas parece quando batemos o olho. Muito lindo!!! Ah, e tem um sistema de freios.

7 – Este é o máximo!!! Ele tem tudo que relatei no cadeirão acima, mas também tem um balanço….tanto para a criança brincar, como para fazer ela dormir, porque o assento deita igual um bercinho. Peg Pérego Cadeirão Tata Mia – de R$ 799,00 a R$ 999,00

O Benício adorou….

Só que a função balanço é até 13 kg apenas, segundo a vendedora.

8 – Cadeira Baby Sistem Fisher Price -R$ 899,00 este é o sonho de consumo mesmo!!! Vejam um cadeirão que tem 4 funções…não preciso falar mais nada, né? A figura diz tudo!!! heheheh

Cadeiras que acoplam na mesa:

Esta foi a cadeira que escolhi para os meus dois filhos se alimentarem…gosto muito porque é barata (neste modelo: custa R$ 70,00, mas exitem de até R$ 250,00 que travam na mesa – mais seguras) e porque posso levar para qualquer lugar!

Mas como tudo na vida tem prós e contras….não podemos usá-la em quais situações: ela não serve em mesas de vidro, nem em mesas redondas com base fina (porque tomba), precisamos tomar cuidado para não deixar nada embaixo do bebê, por exemplo, a cadeira…pois ele empurra a cadeirinha para fora e o cinto é só na barriga.

Apesar de todo este porém, eu recomendo, porque realmente é segura (tomando todos os cuidados) e a criança participa conosco nas refeições. Suporta até 16 kgs ou até 3 anos. Gosto muito!

Cabe em qualquer lugar no carro!

Boosters: de R$ 100,00  a R$ 300,00

Os Boosters são as cadeiras que prendem nas cadeiras. Não consegui testar presa em uma cadeira, mas o Benício ficou bem confortável neste modelo da foto que tem um estofado fino atrás, mas os outros modelos são direto no “plástico”, mais duros.

Não tenho experiência para falar sobre este tipo de cadeira, mas fico insegura do bebê se mexer muito e tombar a cadeira. Não sei…não estou convencida 100%.

Este modelo custa R$ 199,00,

Vejam como fica a cadeira da Fisher Price fechada, parece uma maleta, bem prática!

Bumbo:

Aproximadamente R$ 270,00 já com a bandeja

Explicação retirada do site Bebê Store http://www.bebestore.com.br/produto/3391/BUMBO-BABY-SITTER-AZUL

“O Bumbo Baby Sitter é um novo conceito de assento para bebês, já que é o primeiro que deixa realmente os pequenos sentados sozinhos. Desenvolvido com espuma de baixa densidade, o seu design é projetado para assegurar a postura correta da criança. Além disso, da ao seu bebê uma nova perspectiva visual, é fácil de limpar, transportar e pode ser utilizado em qualquer lugar. A marca Bumbo nasceu da necessidade que o pai teve para manter o seu bebê sentado e seguro nos primeiros meses de vida enquanto fazia outras atividades. Por isso os bumbos são fabricados com design simples e prático, para que facilitem a interação entre os pais e os filhos.”

 

Totseat:

Aproximadamente de R$ 70,00 a R$ 150,00.

O distribuidor exclusivo no Brasil é uma empresa chamada Anjo de Pano e o site é: http://www.anjodepano.com.br/pd-20388-totseat-girafa.html

A explicação deles sobre este produto segue abaixo:

 

“Totseat*, é uma estrutura de tecido que se adapta a qualquer cadeira, ótima para que os pais possam se sentir mais à vontade e a criança se sente a mesa com todos.Perfeito para mamães que gosta de praticidade sem abrir mão da segurança.Restaurantes, festas, e diversos outros lugares têm a necessidade de ter cadeiras especiais para bebês e crianças, para que os pais não tenham que ficar segurando-as no colo. Na maioria das vezes os cadeirões de restaurantes são aberto na frente e não mantém o bebê em segurança. E quando falta cadeira ou o lugar que você vai não tem cadeiras especiais e seguras? Simples tenha um Totseat. Serve em cadeiras com encostos altos e baixos, com braços, cadeiras de todas as formas e tamanhos, podendo levar para a casa da vovó, da titia, nas praças de alimentação e em restaurantes, fazendo da refeição do bebê um momento sempre especial e único para todos. Não ocupa espaço na bolsa do bebê.Totalmente lavável à máquina.Indicado para bebês de 6 a 30 meses. *Produto Importado Somos distribuidor exclusivo no Brasil.
O Totseat deve ser usado com responsabilidade e em uma cadeira apropriada estável, em terreno plano. Uma criança em um Totseat NUNCA deve ser deixado sozinho.”
Veja o vídeo em: http://www.youtube.com/watch?v=z9Vq5l97WQI           

Curiosidade:

O Cadeirão Vicenza Infanti, custa em média R$ 399,00 e achei muito criativo, porque a criança vai utilizar eté ficar grande! Não sei se o material é resistente, pois não vi pessoalmente, mas tem cinto cinco pontos, reclina, é tecido almofadado na cadeira, gostei muito!!!

E aí, ajudei ou confundi mais a cabeça de vocês???!!! hehehehe

Bom, para ajudá-las mais um pouquinho, este site http://testadopelamamae.com/conforto/cadeira-para-alimentacao/ fez alguns testes com cadeiras de alimentação.

A melhor cadeira quem vai decidir é a família, pois o que pode ser melhor para mim, não serve para o dia-a-dia de outras pessoas. O que conheci, pude fazer minhas considerações.

Um grande beijo para vocês!

Ah, e por favor, coloquem nos comentários o que vocês decidiram e mais considerações sobre os modelos!!! Combinado???

 

Você já está com saudades da BARRIGA da sua gravidez???

Meninas….

Como são estranhos os nossos sentimentos, né? Quando estamos grávidas, queremos que nasce logo…quando nasce, queremos a barriga de novo!!! Vai entender…somos mulheres, né????

Comigo foi muito diferente uma gravidez da outra: na da Chiara, eu passei muito mal, então não via a hora que ela nascesse, já do Benício, como sabia que, provavelmente, não ficaria grávida novamente, quis aproveitar até o último momento…se o médico falasse para mim que ele ia nascer de 50 semanas (hehehe) para mim estaria ótimo!!! Valorizei bem mais o status “estar grávida” – cada momento…cada mexida!!!

Atualmente, ainda não estou com saudades da barriga (o Benício está com 8 meses), mesmo porque acredito que não sentimos saudades da barriga em si, mas da sensação extrordinária de sentir o bebê mexer dentro dela!!! Hoje, olho para os meus filhos e fico imaginando como eles puderam ficar tanto tempo lá dentro…é fantástico!!!

No meu caso, a saudade da barriga vai aparecer quando a vida estiver mais “normalizada”, ou seja, quando o Benício ficar um pouco independente como começar a andar, falar…na primeira vez aconteceu quando a Chiara tinha 1 ano e meio, mais ao menos…mas agora não pretendo engravidar novamente…ishiii, mas como vou fazer para matar as saudades!?!? hehehehe (Juninho, brincadeira, não precisa infartar…)

O importante é termos a consciência do momento lindo e único que passamos durante a gravidez e aproveitá-lo o máximo possível e, acima de tudo, agradecer a Deus que nos deu esta oportunidade que nem todas as mulheres têm. Por coinscidência, hoje eu li um post de uma amiga minha, a Flávia de Aguiar, do blog Gravidinhas e Mãezinhas que, no mínimo, me fez refletir tudo isso e agradecer muito ao nosso Pai Maior por ter tido esta benção mágica. Vale a pena conferir: http://gravidinhasemaezinhas.blogspot.com.br/2012/09/rodriguinho-uma-historia-de-fe-e.html

Bom, mas pensando do” lado científico do assunto”, fui atrás de uma matéria da UOL que fala sobre este assunto e sobre o nosso emocional  logo após o pós-parto. Confiram:

“Durante  nove meses que duram uma gestação, a mulher vira o centro das atenções e dos cuidados do seu círculo pessoal e até mesmo de desconhecidos. Todos se preocupam com seu bem-estar e conforto. Afinal qualquer contratempo pode prejudicar sua saúde e a da criança que ela carrega no ventre.

Ao dar à luz, no entanto, mal sai da sala de parto, a nova mãe encontra um contexto bem diferente: encantadas com o recém-nascido, as pessoas deixam de paparicá-la e só têm olhos –e colo, carinho, zelo– para o bebê. Algumas mulheres encaram essa troca numa boa. Outras, porém, mesmo maravilhadas com a maternidade, vivenciam uma espécie de “luto da barriga”, com uma saudade intensa de uma fase em que eram mimadas e ainda não tinham de lidar com noites mal dormidas, choro contínuo e fraldas sujas.

Segundo Ana Merzel Kernkraut, coordenadora do Serviço de Psicologia do Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo, o que geralmente acontece é que algumas mulheres se sentem fragilizadas devido às alterações hormonais, físicas e emocionais que ocorrem durante o parto. Essas mudanças exigem um tempo de acomodação, no qual é necessário o apoio da família ou até de profissionais para auxiliar nos cuidados com o bebê.

QUANDO A TRISTEZA NÃO PASSA

Se após cerca de dez dias do parto a mulher ainda não se sentir bem emocionalmente, é hora de pedir orientação ao obstetra.

“Não é comum a mulher ficar triste e enciumada em função das atenções irem para o bebê, mesmo porque ela também o terá como seu foco”, explica a psicóloga Ana Merzel Kernkraut, do Hospital Albert Einstein.

Ana afirma que a mãe que quer ficar em primeiro lugar diante do nascimento do filho ou que se sente extremamente preocupada a ponto de não confiar a ninguém os cuidados com a criança também requer ajuda médica.

Segundo o ginecologista e obstetra Sérgio Floriano Toledo, os casos em que a mulher sente medo de cuidar do bebê ou ansiedade excessiva em relação ao cotidiano podem sinalizar depressão pós-parto.

“O problema costuma aparecer por volta da terceira ou quarta semana após o nascimento da criança e acomete de 10% a 20% das mulheres.”

Se o diagnóstico for confirmado, é necessário tratamento adequado com psicoterapia e/ou medicamentos.

“Trata-se de um fenômeno conhecido como ‘baby blues’, que é um estado leve de depressão. A mulher pode se sentir entristecida, chorosa e até regredida emocionalmente”, explica a psicóloga. Na maioria dos casos um estado transitório, o “baby blues” pode evoluir para a depressão pós-parto e é preciso estar atento para perceber quando o limite da tristeza foi ultrapassado.

De acordo com Sérgio Floriano Toledo, da Sogesp (Associação de Obstetrícia e Ginecologia de São Paulo), essa manifestação, também chamada de tristeza pós-parto, acomete em menor ou maior grau de 50% a 80% das mulheres que acabam de dar à luz.

“Os sintomas incluem crises de choro, ansiedade, irritação e falta de concentração e surgem depois de três ou quatro dias depois do parto”, conta o especialista. É uma fase em que é preciso se acostumar a ser uma “ex-grávida”  e que parece que nunca mais vai embora, mas some naturalmente após uns dez dias aproximadamente.

“Entender que o ‘baby blues’ é natural e transitório ajuda muito a enfrentá-lo”, diz Toledo. Embora o sentimento seja passageiro, a atenção da família é fundamental no período pós-parto, não importando se a mulher é mãe de primeira viagem ou se o bebê é seu segundo ou oitavo filho. É fundamental não sentir culpa pelos sintomas. Muitas mulheres, mesmo felizes com a criança, sentem saudade da presença da barriga, de acariciá-la, dos movimentos do bebê que sentia.

Quem se identificou pode respirar aliviada: isso é perfeitamente normal e mais comum entre aquelas que tiveram uma gestação agradável, sem sustos ou incômodos. “Para quem planejou e curtiu muito a gravidez, é natural sentir saudade dessa fase, pois é a lembrança de um bom período e sentimos falta das coisas boas pelas quais passamos na vida”, diz Ana Merzel Kernkraut, do Hospital Albert Einstein”

 

E vocês, já sentem saudades da BARRIGA?

bjão a todas e até mais.

 

 

 

 

 

Cuidados com dente do bebê

 

 Oi gente!!!

Esta semana, acompanhei no meu facebook  (Camila Mamãe Viver Bem Bom), a preocupação da minha amiga Siméia Hummel com sua filhinha ,Esther, que ainda não tem nenhum dente.

Pesquisando na rede acabei encontrando essa matéria bem legal da Revista Crescer (fonte: http://revistacrescer.globo.com)

São dicas importantes… confiram:

Quando os primeiros dentes do bebê começam a aparecer, geralmente entre 4 e 10 meses (viu Siméia???? sem neuroses!!!), você vai perceber que ele vai ficar irritado, querendo colocar tudo na boca para aliviar a dor e a coceira. A salivação também vai aumentar – e ele vai babar (ainda!) mais. Deixá-lo com babador vai facilitar muito. Outros sinais podem aparecer, como algum tipo de machucado, sangramento ou inchaço e até febre.

No entanto, segundo a odontopediatra Ana Lídia Ciamponi (SP), esse aumento da temperatura está mais relacionado com uma possível infecção causada pela contaminação de bactérias, já que ele tende a levar mais brinquedos à boca para coçar a gengiva, do que com o nascimento dos dentes em si.

Para ajudar o seu filho, ofereça mordedores de borracha, que ajudam a massagear a gengiva. Os que possuem gel dentro têm um efeito ainda melhor, já que podem ser levados à geladeira e, frios, amenizam ainda mais a dor. O mesmo vale para sucos e alimentos gelados que agem como anestésicos.

Segue um post que fiz sobre dicas de mordedores: http://viverbembom.com.br/dica-de-mordedores/

“O gel anestésico não é recomendado porque a salivação aumenta neste período e, por isso, o efeito acaba rapidamente”, diz a odontopediatra Isa Gontijo (SP). Além disso, uma pesquisa recente da FDA (Food and Drug Administration) – órgão de controle de alimentos e medicamentos norte-americano, – mostrou que a benzocaína, presente na maioria dos géis destinados a aliviar a dor da dentição, pode causar falta de oxigenação em todos os órgãos devido a uma doença rara e até fatal chamada metahemoglobinemia.  (eu uso muito o Camomilina C – alivia bastante – como o Benício não pega mamadeira, eu abro o comprimido e vou passando o pózinho na gengiva dele – mas consultem um médico antes)

Cuidados com a higiene

O cuidado com os dentes começa antes mesmo de nascerem. O ideal é passar uma gaze ou fralda umedecida com água filtrada por toda a boca, limpando gengiva, bochechas e língua, para remover os resíduos do leite.

Além da fraldinha, na Chiara, usei muito este coelhino para massagear e limpar a boquinha dela.

 

 

 

No 6º mês, quando costumam aparecer os primeiros dentes, passe a usar uma dedeira. Com ela, faça movimentos suaves.

Eu usei muito esta dedeira com a Chiara, preciso começar a usar com o Benício…relaxei um pouco!!! Mas este assunto é sério demais para acomodarmos, né?

Escova de dentes para bebê

 

O procedimento já é um treino para a escovação, que pode ser feita a partir de 1 ano, com escova de dente macia e pasta com flúor,segundo recomendação da Associação de Odontopediatria e do Ministério da Saúde. Na hora da compra, veja se o creme dental tem flúor a uma concentração de 1.100 ppm (observe essa informação na embalagem do produto). A quantidade usada na escova deve ser equivalente a um grão de arroz apenas. Mesmo que o seu filho engula um pouquinho, não há risco para a saúde dele. Essa limpeza é fundamental para evitar, desde cedo, que a criança tenha cárie.

Segue um post que fiz sobre tornar a escovação mais lúdica: http://viverbembom.com.br/sugestoes-para-uma-escovacao-de-dente-divertida/

Lembre-se: os dentes de leite são importantes para a saúde bucal da criança e têm um tempo certo para ficar na boca (até por volta dos 6 anos e meio, em média, quando inicia a troca dentária), já que preparam a arcada dentária para receber os permanentes e ajudam na mastigação e na fala.

Longe da cárie

Para impedir que a vilã dos dentes apareça, veja três dicas práticas:

• A cárie adora o açúcar refinado presente em alguns alimentos, sucos prontos, biscoitos e até mostarda. Doces pegajosos, como brigadeiro e balas, são mais perigosos porque grudam no dente e deixam restos difíceis de serem retirados. Tente equilibrar o consumo dessas guloseimas, e nunca mergulhe a chupeta do seu filho em nada adocicado.

• Não é legal que seu filho adormeça mamando (se o leite for adoçado, pior) porque, durante a noite, produzimos menos saliva, que faz uma autolimpeza nos dentes. Sem essa proteção extra, eles ficam mais expostos às bactérias. Então, após essa mamada, dê um pouco de água para seu filho tomar e escove os dentes dele no dia seguinte. O mesmo vale se a criança acorda de madrugada e pede para mamar. A regra não cabe para o aleitamento materno exclusivo: não dê água, apenas faça a higienização no dia seguinte.

• Beliscar o dia todo é tão ruim quanto o consumo de açúcar porque a saliva, que faz aquela autolimpeza, não dá conta de manter tudo limpo, criando um ambiente propício para a placa bacteriana. ”

 

Meninas, sabem qual é o a conclusão de tudo isso??? É que temos que cuidar dos dentes dos nossos filhotes, mesmo quando ainda eles não o possuem!!!!! hehehe isto é vida de mãe… beijos

 

Mitos e Verdades sobre a vacinação

Pessoal, confiram esta matéria sobre vacinas que explica sobre algumas situações que nunca sabemos se devemos ou não dar a vacina naquele momento.

Fonte:

http://itodas.uol.com.br/mae/perdi-o-prazo-da-vacinacao-do-meu-filho-e-agora-24058.html

 

A importância da vacina quando crianças

“Vacinar o seu filho é a melhor forma de protegê-lo contra doenças adversas, aumentando a expectativa de vida e diminuindo a mortalidade infantil.

No Brasil, o Programa de Imunizações (PNI) criado e gerenciado pelo Ministério da Saúde tem como principal objetivo manter o controle de todas as doenças que podem ser erradicadas ou controladas com o uso da vacina.

Por ser de extrema importância para a saúde da população, os pequenos logo ao nascer já recebem duas vacinas ainda na maternidade- a BCG vacina contra a tuberculose e a vacina contra a hepatite B.

“A vacina é feita com os próprios microrganismos que causam as doenças, mas esses sem poder de ataque” explica o presidente da Sociedade Brasileira de Imunização, Renato Kfouri.

A vacina acaba inibindo o desenvolvimento da doença formando anticorpos contra ela. Por isso, vacinar é uma forma de proteção, carinho e amor.

Esse tema causa questionamento em muitos pais. Diante disse, o Dr. Renato Kfouri esclarece alguns mitos e verdades sobre a vacinação.

Acompanhe!

Vacinar o pequeno doente

A relação de contra-indicações são raras. A vacina somente deverá ser adiada quando a criança apresentar febre aguda nas últimas 24 horas. Outros sintomas, como diarréia e gripe, não interferem e não devem ser motivo para a ausência da criança no dia da vacina.

Vacina dói?

Existem três tipos de vacinas:

– as chamadas intramusculares: são as mais doloridas e muitas vezes deixam o local da picada sensível por horas, causando um pouco de incômodo. Elas são aplicadas dentro do músculo.

– as chamadas vias subcutâneas: aplicadas na camada mais superficial da pele (tecido subcutâneo), são menos doloridas.

– as chamadas vias intradérmicas: os medicamentos são aplicados entre a derme e epiderme (tecidos da pele). O volume aplicado é sempre muito pequeno, o que faz com que a criança não sinta dor.

Como amenizar a dor da vacina

Usar compressas frias até as primeiras 24 horas e depois fazer o uso de compressas quentes e analgésicos se a dor persistir.

O dia da vacina passou, e agora?

O ideal é que a criança seja vacinada no dia agendado pelo médico. Mas até 15 dias após o dia marcado a criança ainda está protegida, depois disso o corpo fica sem defesa.

Reação da vacina é sinal de eficiência?

A única vacina que precisamos da reação como sinal de eficiência é a BCG, chamamos isso de pega vacinal. O restante não precisa dessa comprovação, e é errado pensar que reação é sinônimo de eficiência.

A gotinha é segura?

Em raríssimos casos a pólio oral sofre reversão em indivíduos vacinados. Ainda encontramos alguns raros casos de paralisia pela vacina, pois nas duas primeiras doses o vírus é implantado vivo no organismo. Mas diante desses poucos casos em que houve a reversão da vacina, o Brasil implantou em agosto de 2012 a nova vacina que consiste na injeção do vírus morto, o que impede 100% da criança desenvolver a poliomielite.

Vacina da gripe

Muitas pessoas tomam a vacina e acham que ela estimula o organismo a desenvolver a gripe depois da ingestão. Mas estão erradas ao pensar assim. A vacina, diferente da poliomielite, é feita com o vírus morto, ou seja, não existe nenhuma possibilidade para desenvolver a doença. Biologicamente é inviável.”

Mamães e Negócios – apresentando FANI RODRIGUES- profissional especializada em cortes infantis

Oi meninas,

Estas semanas que passaram, tivemos muitas interações no face sobre corte de cabelo infantil, se conhecíamos alguém, se poderiam confiar…

Pensando nisso, aproveitando uma ida ao salão para cortar o cabelo da Chiara, resolvi entrevistar a FANI que cuida do cabelo dela, praticamente, desde quando ela nasceu!

Confiram no vídeo as dicas que ela fala sobre a importância de cortar o cabelo com um profissional especializado em crianças.

Ah, mesmo o Benício que ainda não tem quase cabelo, entrou na brincadeira, ela ajustou o “pézinho” do cabelo. hehehehe

Um beijão e até mais!!!!